Leitores Online

24 de dez de 2010

As Drogras Econômicas e Financeiras


As drogas são uma chaga e uma epidemia que marca com o sofrimento das famílias, do viciado e de toda sociedade.

O governo mundial não se interessa em acabar com as drogas, por que esses entorpecentes são geradores de renda, que participa do P.I.B. de cada país, mesmo, de maneira paralela, criminosa e ilegal.

Se não fossem as drogas, hoje, a miséria social do mundo talvez fosse muito maior. Os governantes sabem disso e não querem combater o narcotráfico ao ponto de exterminar, e sim, de maneira paliativa, para dar uma satisfação ao povo, eliminando alguns efeitos e nunca a causa.

Os governantes sempre têm uma desculpa para dar ao povo, como:

O território é muito grande;

Não temos efetivos militares suficientes para combater o narcotráfico.

Não temos verbas para manter a manutenção;

E por aí vai, as desculpas amarelas.

Os governantes sabem onde estão às plantações de coca, de maconha, de papoula... Mas, não têm poder contra os poderosos que plantam e fabricam essas drogas, e fazem vista grossa. Para acabar com as drogas têm que acabar com as fontes de produção. Não adianta combater os infelizes anõezinhos que traficam e consomem na zona urbana e rural.

Por trás dos traficantes distribuidores existe uma rede bem montada de traficantes que financiam esse comércio ilegal e são pessoas invisíveis e poderosas.

Aquele aparate no morro do Rio de Janeiro afugentando os peixinhos do tráfico, aquilo foi um serviço bélico temporário, para dar aos estrangeiros (turistas) uma boa impressão e para que eles possam ir e vir aos morros sem nenhum perigo de serem molestados por bandidos. Tudo isso, só até as Olimpíadas e a Copa do Mundo, quando acabar esses eventos, os bandidos vão voltar aos morros, e continuarão no seu comércio ilegal, que rende milhões para os tubarões das drogas. Apesar dessa blitz militar em alguns morros cariocas, os outros morros ficaram livres para negociar com as drogas, e estão eles lá, a fazerem a sua farrinha social.








Por: Ernani Serra
Pensamento: Não passamos a ser velhos por ter vivido certo número de anos. Passamos a ser velhos quando abandonamos o nosso ideal.
General MacArthur