Leitores Online

11 de dez de 2010

FMI - Plano Econômico e Financeiro


Esse plano serve para qualquer país em crise, é um plano quase universal, talvez, precise de mais uns retoques técnicos e políticos para chegar ao ideal.

Todos os países do terceiro mundo são responsáveis pelas crises econômicas e financeiras porque, em vez, de dinamizar o desenvolvimento do país com produção interna, indústrias com antipoluentes, incentivar a indústria do turismo e a exportação para obter os dólares necessários ao progresso da nação, simplesmente, esses países deixam de fazer isso, para irem ao F.M.I.. É a lei do menor esforço ou corrupção política.

Os dirigentes das nações sabem que ir ao F.M.I., é deixar a nação agrilhoada ao capital estrangeiro.

Os devedores ao longo dos empréstimos vão ficando mais pobres porque chegam ao ponto de sacrificar o P.I.B. para pagar apenas os juros exorbitantes, o que seria uma riqueza para a nação, se torna uma exportação em vão de capital. Esse P.I.B., vai chegar a um déficit em vermelho que vai se acumulando e arrolando os juros numa bola de neve que vai se tornar uma avalanche e soterrar os países devedores.

O F.M.I.,empresta sob condições pré-determinadas a juros flutuantes e sem prazo fixo é o mesmo que acorrentar um povo e leva-lo a escravidão. O F.M.I., se torna o senhor do mundo e os endividados, os vassalos que se rastejam sem brios, sem autogestão política, humilhados como lacaios e capachos de um sistema financeiro desumano e cruel.

A segurança nacional desses países em débito com o F.M.I., ficam abaladas pela insatisfação do povo. As nações devedoras chegam ao ponto de passar as suas riquezas para o capital privado a pedido do credor que fica com o país devedor sob tutela.

Esses bilhões de dólares que os devedores recebem do F.M.I. são para determinados fins específicos sob contrato, mesmo assim, são mal aplicados, em vez de desenvolver a nação, os corruptos conseguem desviar com superfaturamento e outros artifícios escusos e desonestos.

O governo procura aplicar milhões de dólares na Bolsa de Valores para conter a alta do dólar e os corruptos procuram aplicar milhões de dólares no entesouramento em bancos estrangeiros. De um lado o governo pedindo dinheiro e do outro lado os corruptos entesourando os milhões de dólares que roubam da nação.

Toda vez que a Bolsa de Valores baixa a cotação do dólar no câmbio para conseguir dólares do governo, que injeta dólares na Bolsa de Valores em troca de valorizar a moeda estrangeira, em vez de dólares, o governo cotava artificialmente a moeda nacional no mesmo patamar do dólar, mas isso, o F.M.I. não quer, esse jogo no câmbio já é para impedir que a moeda nacional se iguale com a moeda estrangeira. O jogo é não deixar a moeda nacional se valorizar mais do que a moeda estrangeira.

O corte de verbas não deixa de ser uma grave crise interna de um país que vai levar ao desemprego através de demissões toda uma classe governamental. O país credor está obrigando aos países devedores a pararem de crescer e isso, vai causar a fome em massa e o caos social. O F.M.I. faz empréstimos bilionários com juros e prazos infinitos e o pior, eles exigem em troca a falência o caos do país com: recessão econômica, desemprego, baixos salários, P.I.B. em vermelho, inflação, falências econômicas e financeiras. Será que vale a pena esse empréstimo a custo de tanto sangue e sacrifício? Se não houvesse quem emprestasse esses dólares? Não encontraria uma saída digna e honrosa!

Se o Brasil tivesse transformado as duzentas toneladas de ouro de Serra Pelada em lastro ouro a nossa moeda agora estaria com a cotação acima de qualquer moeda estrangeira, mas, o que os dirigentes fazem com nossas riquezas, entregam de mão beijadas aos países do primeiro mundo, uma verdadeira traição ao povo brasileiro, onde está os patriotas que nada fazem e se acomodam com essa invasão pacífica e cruel. Nós somos o único país do mundo que não precisávamos de pedir dólares ao F.M.I., temos ouro, pedras preciosas e inúmeras riquezas no solo e subsolo. O que falta aos dirigentes brasileiros é amor à pátria, vergonha e moral.

O mundo só terá uma distribuição de renda melhor quando o capital deixar de ser depósito bancário para se tornar capital de giro. Atualmente tem muito dinheiro estocado nas mãos de poucas pessoas e muita gente sem dinheiro por culpa dos agiotas e corruptos que são proprietários desse capital inútil, ocioso e preso na rede bancária internacional. É preciso que o capital esteja sempre em movimento para gerar progresso, desenvolvimento, riquezas e bem-estar social. Uma minoria da população mundial está altamente rica, enquanto, a maioria está cada vez mais miserável e pobre.

O F.M.I.,é o grupo de capitalistas que têm a maior reserva em dólares estocada no mundo e está pondo em giro esse capital através de negociatas e agiotagem de créditos a juros flutuantes, montantes que se elevam sem prazo fixo, comprometendo a independência de todos os países que fizeram esse pacto diabólico.

Os países maleáveis de regime fraco eles invadem com empréstimos e saqueiam toda a economia através de juros elevadíssimos. Os países fortes, ditatoriais e ricos, ou nacionalistas que não querem se submeterem a essa transfusão monetária, eles arrumam um pretexto para invadir pelas armas tomando as riquezas e territórios, deixando a nação sob o seu domínio.

O F.M.I., passou a corrente em todos os países do mundo, os únicos países que não receberam os grilhões financeiros, foram: ANDORRA, COREIA DO NORTE, CUBA, LIECHTENSTEIN, MÔNACO, NAURU, TAIWAN (FORMOSA), TIMOR LESTE, TUVALU E VATICANO. Porque esses países são muito pequenos, sem riquezas e sujeitos a passarem calotes no F.M.I., portanto, não há interesse em bancar financeiramente esses países pobres.








Por: Ernani Serra
Pensamento: Conheça-te a ti mesmo e conhecerás o Universo e os Deuses.
Sócrates