Leitores Online

8 de jan de 2011

Pesquisa Salvadora e Abandonada


Há alguns anos atrás, a rede Globo de televisão divulgou a descoberta de um medicamento contra o vírus do HIV que foi pesquisada por uma cientista brasileira da Região Sul do Brasil, que em seus estudos, elaborou um remédio à base de: veneno de cobra, arsênico e outras ervas medicinais que não foram divulgadas, segredo científico.

As pessoas que foram medicadas com esse produto deram o seu depoimento dizendo que suas taxas do vírus chegaram a zerar no sangue, sentiram-se como curadas, e o melhor, é que não dá nenhuma reação ruim aos pacientes. Um dos entrevistados disse que, abandonou os coquetéis contra a doença do AIDS, por causa das reações que davam no organismo, e estava disposto a não tomar mais aquelas drogas, foi quando tomou conhecimento desse novo tratamento e participou do experimento que deu certo.

Se as taxas zeraram no sangue desses pacientes tudo indica que elas foram curadas.

Depois dessa divulgação televisada, nunca mais se viu ou ouviu falar nesse medicamento tão elogiado. Será que a cientista brasileira sofreu algum tipo de pressão pelas multinacionais?

As multinacionais que operam com medicamentos paliativos contra o AIDS ganham bilhões de Dólares em cima desses pacientes infectados e não querem que apareça uma droga que acabe com essa fonte de renda tão rentável. Esses laboratórios internacionais ficam empurrando com a barriga, contanto, que não acabe com essa mina de ouro que são os remédios paliativos contra essa doença mundial.

É preciso que o governo brasileiro apóie esses cientistas porque o Brasil é um celeiro de muita gente competente.










Por: Ernani Serra
Pensamento: Não se pode deixar o amor envelhecer como um muro que racha, mas como uma árvore que se enraíza.
Pierre-Henri Simon