Leitores Online

5 de abr de 2011

Gasoduto: Brasil x Bolívia


Essa reportagem foi feita em 2003 pela Revista Almanaque Abril sobre o gás natural.

As reservas mundiais provadas de gás natural totalizam 143 trilhões de metros cúbicos em 1999. Desse total, 403 bilhões estão no território brasileiro, sendo 151 bilhões em terra e 252 bilhões em mar, alcançou aproximadamente, 5.277 bilhões de metros cúbicos no ano de 2000, o que significa um crescimento de 34% em relação ao ano anterior. Como a produção é maior que o consumo, uma parte do excedente é rejeitado nos poços (1,6 bilhões de metros cúbicos).

Em julho de 2001, a produção acumulada no ano atinge 3,372 bilhões de metros cúbicos, o que equivale a uma média de 15 milhões de metros cúbicos ao dia, 10% superior a de 2000 (14,458 milhões de metros cúbicos ao dia).

Em julho de 1999 tem início a importação do gás natural proveniente da Bolívia, através do gasoduto Bolívia-Brasil. Nesse ano, são importados 400 milhões de metros cúbicos. Em 2000 o total salta para 2,210 bilhões de metros cúbicos, quantia superior já nos sete primeiros meses de 2001, quando se acumulavam 2,298 bilhões de metros cúbicos importados no ano.

Inaugurado em 1999, o gasoduto é considerado um dos maiores projetos de infra-estrutura do mundo, orçado em dois bilhões de Dólares.

Entram em atividade 1.968km, do total de 3.150 revistos, ligando os municípios de Santa Cruz de la Sierra na Bolívia, e Guararema no interior de São Paulo.

Embora as tubulações permitam o transporte de até 30 milhões de metros cúbicos de gás por dia, o acordo inicial prevê o fornecimento de 9 milhões de metros cúbicos diários. Se nós temos um excedente interno rejeitado, por que se gastou 2 bilhões de Dólares num projeto deficitário? Para deixar o Brasil mais dependente do FMI? Se nós temos excedentes para que importar gás natural da Bolívia? O anti-nacionalismo e a corrupção está intrinsecamente arraigado na cultura brasileira. O governo do Brasil deixou de instalar gasodutos em nosso território para beneficiar a Bolívia que talvez não tenha dado nem um centavo por esse bilionário projeto.

O Brasil está se tornando uma vaca leiteira que só dá leite para o exterior. Se o Brasil não tivesse gás natural no seu subsolo, aí sim, era viável esse grande projeto em território Boliviano.

Se a produção de gás natural do Brasil é maior do que o consumo, não se justifica esse gasoduto internacional e nem esses aumentos de gás que acompanha a alta do petróleo, uma coisa não tem nada a haver com a outra, esses aumentos só vem diminuir o poder de compra do trabalhador assalariado que a cada dia, fica mais pobre como manda a cartilha do Fundo Monetário.

O Brasil deveria ter o gás e o petróleo mais barato do mundo pelas riquezas das reservas naturais que são extraídas do subsolo.











Por: Ernani Serra
Pensamento: Agradeça sempre pelo que tem e conquistou, pare de reclamar pelo que não tem.
(2012 – A ERA DE OURO)