Leitores Online

13 de abr de 2011

O Brasil na Guerra Fria


O arsenal bélico brasileiro cresce ano após ano sem que haja uma ameaça real de guerra na região.

Os gastos militares atingiram patamar recorde em 2010, a US$ 1,6 trilhões, segundo o Instituto Internacional de Estudos da Paz de Estocolmo (SIPRI, na sigla em inglês). A América do Sul foi à região que registrou maior crescimento nestes gastos, principalmente por conta do Brasil. De acordo com o relatório do SIPRI, os gastos militares sul-americanos somaram US$ 63,3 bilhões no ano passado, um crescimento de 5,8% em relação ao ano anterior. Entre 2001 e 2009, os gastos militares dos países da região tiveram, em média, crescimento anual de 3,7%.

O Brasil que recentemente fechou acordos para compras de helicópteros e submarinos militares, foi o principal contribuidor para o crescimento dos gastos militares da região - US$ 2,4 bilhões do crescimento em termos reais da região de US$ 3 bilhões. Sem falar na possível compra no ano que vem de aviões de caça para a FAB.

A Empreiteira Compra Fábrica de Mísseis. O grupo Odebrecht, pretende entrar na área de Defesa e já comprou uma fábrica de mísseis da Mectron e também é parceira do estaleiro francês DCNS, para a venda de submarinos à Marinha do Brasil, e também tem parceria na área de Defesa com a francesa EADS Defense. A empresa se destaca na área de construção civil, como uma das maiores empreiteiras do país. Em entrevista a Reuters, o presidente da Odebrecht Defesa e Tecnologia estão aceitando parceria desde que tenha condição de gestão ou, no mínimo, ser co-gestor do negócio, apesar da prioridade ser dentro do Brasil e também pode ser no exterior.

A italiana Avio, a gigante de aviação, anunciou a compra da brasileira Focaleng, especializada em manutenção de aeronaves militares. (Trecho do Correio do Brasil).

Comentário: O Brasil está se endividando cada dia que passa; como está cheio de Dólares como nunca teve antes, está querendo se desfazer desse capital para desvalorizar a moeda nacional (Real) para que haja mais investimentos estrangeiros dentro do país, isso é a mentalidade dos xenófilos; por que não cria uma nova mentalidade xenófobo para desenvolver a nação para os brasileiros?

Já não basta essa invasão das multinacionais civis e agora vêm as multinacionais bélicas para invadir o mercado que deveria ser dos brasileiros, se o governo assim o quisesse, mas não, os brasileiros serão sempre vistos no exterior como nativos, índios, incapazes e subalternos aos superiores do primeiro mundo. Politicamente somos responsáveis por essa situação de incompetência desde que, não temos estudos de alto gabarito nos ensinos: Primário, Fundamental II, Médio, Faculdade e Tecnológicos, os estudantes entram burros e saem jumentos, esse é a imposição dos xenófilos brasileiros que não tem capacidade e estão no poder por bajulação e interesses político-internacionais, e impedem a educação no Brasil, para que os estrangeiros se apossem de tudo que de direito seria dos brasileiros, que não assumem por não estarem aptos as oportunidades de trabalho no mercado nacional. Somos escravos até quando?

Somos um país pacífico em região pacífica sem beligerância.

Corrida armamentista no Brasil, isso é um absurdo, bilhões e trilhões de Dólares jogados fora em armamentos inúteis que em menos de vinte anos vão virar sucata, é dinheiro jogado no lixo, por que não aplicam esse dinheiro na: Educação, Tecnologia, Saúde, Justiça e Segurança Pública? Isso tinha mais valor e era um investimento contínuo para levantar a auto-estima da nação e não dar ao povo migalhas de salários mínimos.

Infelizmente, são os estrangeiros que estão dominando o Brasil pelo seu poder de capital que manda e desmanda no mercado nacional e com total poder político. Voltamos a era da “Colonização Moderna”.










Por: Ernani Serra
Pensamento: Penso 99 vezes e nada descubro. Deixo de pensar, mergulho no silêncio e a verdade me é revelado.
Albert Ainstein