Leitores Online

6 de abr de 2011

Pensão Alimentícia


É preciso que os governantes de todos os países elaborem um plano para baixar a natalidade para que a população possa viver com melhores salários, mais justos e mais ofertas de empregos, e diminuir ou acabar com a explosão demográfica mundial.

Antigamente era o Salário Família que incentivava o aumento da natalidade, hoje, é a Pensão Alimentícia que está levando jovens a uma gravidez prematura com a intenção de ganhar dinheiro fácil e outras vantagens de extorquir uma grande soma nos tribunais, de amantes ricos e famosos.

O ideal seria extinguir ou criar uma taxa única de 20% para todas as Pensões Alimentícias (de pobres e ricos) sobre a renda do réu, impedindo a extorsão em milhares ou milhões em moeda corrente, deixando o réu, mesmo sendo rico, em situação difícil, que hoje pode pagar e no futuro por problemas financeiros deixará de cumprir. O juiz deixaria a critério e da consciência dos pais em aumentarem essa taxa única de 20% ou então, caberia a justiça entregar os filhos a quem tivesse melhores condições financeiras para criar e educar, independente de ser, mãe ou pai, e que, tenha muito amor para com os filhos.

Quem já tivesse recebendo Pensão Alimentícia não poderia receber outra pensão, sendo proibido o acúmulo de pensões.

Sabendo que o golpe não dá lucro as mulheres vão se prevenir. Antigamente, que não tinha tantos meios seguros para evitar filhos e não existia Pensões Alimentícias, as mulheres eram mais cautelosas. Hoje, com tantos meios de se prevenir cientificamente e por conscientização dos meios de comunicações, não se justifica uma natalidade irresponsável.

Com essa taxa pré-fixada nas Varas de Família as mulheres ficariam mais prevenidas e recorreriam ao uso de preservativos como: pomadas anti-espermicidas, injeções e comprimidos de anticoncepcionais, camisinhas, implantes subcutâneos de anticoncepcionais, operações de esterilidade em mulheres e homens e uma infinidade de artifícios científicos para evitar filhos não desejados.

Como vivemos em países democráticos não justifica a prisão do réu que não teve condições de cumprir com a lei. Constranger o réu por meio de prisão é um ato ditatorial é contra os princípios constitucionais dos direitos humanos. O pai que renega seu próprio sangue (filho) está renegando a si mesmo, não é um pai é um monstro.

Há alguns anos atrás, a TV mostrou uma reportagem de uma mulher que estava dando golpes de casamentos só para receber pensões e, já tinha realizado dois casamentos, e estava pensando em se casar novamente, virou uma indústria do casamento para adquirir Pensões Alimentícias.













Por: Ernani Serra
Pensamento: O mundo está precisando de menos gente e de boa qualidade.
Ernani Serra