Leitores Online

27 de jun de 2011

Amai-vos uns aos Outtros



Os gays estão utilizando palavras da Bíblia e desvirtuando a palavra de Jesus, para justificar os seus atos sexuais como normais. Como essa afirmação bíblica de Jesus “amai-vos uns aos outros, como eu vos amei” como se referisse ao comportamento dos homossexuais dos dois gêneros.

Jesus queria que todos se amassem de maneira virtuosa com respeito e dignidade, um amor fraternal, divino, como se todos fossem da mesma família dessa incrível humanidade. Ele nunca se referiu ao sexo no sentido de amar. O amor dos homens atualmente está corrompido, o amor para a sociedade atual é sinônimo de sexo.

A própria natureza é sábia em suas leis quando demonstra no estudo científico da Física que os opostos se atraem e os iguais se repelem. Mas como a humanidade está indo de encontro aos princípios naturais, é provável que se tornem naturais dentro da sociedade, o que é impossível é mudar as leis da natureza que são imutáveis.

Desrespeitar a fé religiosa do próximo por motivos pessoais e políticos é uma discriminação condenável pela Constituição Federal do Brasil.

Já que a sociedade está tornando a classe gay como cidadania de fato e de direito, ninguém tem nada a haver com seus procedimentos e escolhas sexuais, desde que, não constranjam os direitos e deveres de terceiros.

Todo cidadão tem direito de ir e vir sem ferir os padrões da moralidade.

Hoje, 27/06/2011, o Estadão de São Paulo, publicou uma matéria sobre o “deboche” conforme declaração do Cardeal Dom Odilo Pedro Scherer, Arcebispo de São Paulo que classificou como “infeliz, debochada e desrespeitosa” a colocação de cartazes com imagens de santos católicos em postes da Avenida Paulista, durante a Parada Gay. Para o Cardeal-Arcebispo, o uso instrumentalizado das imagens por parte da organização do evento, ofende o sentimento da Igreja Católica.

É uma forma debochada de usar imagens de santos, que para nós merecem todo respeito, disse D. Odilo. Vamos refletir sobre medidas cabíveis para proteger nossos símbolos e convicções religiosas. Quem deseja ser respeitado também tem de respeitar.

Para o Cardeal, a organização da Parada Gay pregou cartazes provavelmente para atingir a Igreja Católica. Porque a Igreja tem manifestado sua convicção sobre essa questão e a defende publicamente.

O Cardeal também voltou a manifestar posição contrária ao slogan escolhido pela organização da Parada Gay “Amai-vos uns aos outros, como eu vos amei”. O uso de somente parte dessa recomendação, fora de contexto, em uma Parada Gay, é novamente um uso incorreto, instrumentalização da palavra de Jesus…











Por: Ernani Serra
Pensamento: Quem ama de verdade, ama com o espírito e não com o desejo carnal.
Ernani Serra