Leitores Online

10 de jun de 2011

Cultura Indígena de Ontem e de Hoje


Os índios de ontem eram felizes, fisicamente fortes, gozavam de muita saúde, ao terem contato com o homem branco, ficaram tristes, fracos e sem saúde.

As tribos de hoje em sua maioria estão sendo massacrada pelos brancos que tomam suas terras a força das armas e reduzem a nômades miseráveis.




A nação indígena está desamparada e as leis que amparam seus territórios nada valem; o branco não tem palavra e nem dignidade para manter o que foi demarcado por lei, o que o homem branco tem é ambição e crueldade nessa alma faminta de interesses políticos, econômicos e financeiros.

Essa invenção de separar os Estados brasileiros em mais de 11 ou 18 Estados nada mais é; para aumentar a população branca e destruir as florestas e explorar as suas riquezas que estão em territórios dos índios. Com essa divisão territorial os índios vão perder as suas reservas e a tendência é exterminar todas as etnias indígenas seja por doenças ou por assassinatos, como já fizeram no passado, no tempo da colonização do Brasil pelos portugueses, holandeses e franceses que por aqui tiveram suas miseráveis pegadas de destruição.

O poder do dinheiro nacional e estrangeiro no Brasil está falando muito alto a ponto de destruir toda floresta Amazônica como já fizeram com a floresta Atlântica que restam apenas resquícios de matas.

Esse maldito homem branco destruidor vai pagar na mesma moeda, está cavando sem saber a sua própria sepultura, não é só no Brasil é no mundo inteiro.

Todos os sofrimentos e lágrimas que estão causando aos seus irmãos índios, o extermínio da fauna e da flora, vão receber em dobro pela Lei de Causa e Efeito, porque estão atingindo o coração da natureza divina.

Ninguém fica impune atingindo a Deus, trocando esse Deus Onipresente, Onisciente e Onipotente por míseros valores monetários como se fosse o verdadeiro DEUS.

Que a maldição caia sobre esses monstros antinatureza e os exterminem para o bem do planeta Terra.











Por: Ernani Serra
Pensamento: Como no deserto se procura um oásis para descansar, assim o homem procura no amor a fonte da felicidade.
Elaine Moreno Ibanez.