Leitores Online

10 de jul de 2011

Esperanto



História

O esperanto é a língua planejada mais vastamente falada. Seu iniciador, Ludwik Lejzer Zamenhof, (russo), publicou a versão inicial do idioma em 1887, com a intenção de criar uma língua internacional, para toda a população mundial e não, como muitos supõem, para substituir todas as línguas existentes.

O seu pai, entretanto, fê-lo prometer deixar de trabalhar no seu idioma para se dedicar aos estudos. Zamenhof então foi para Moscovo estudar medicina. Em uma de suas visitas à terra natal, descobriu que seu pai tinha queimado todos os manuscritos do seu idioma. Zamenhof pôs-se, então, a reescrever tudo, adicionando melhorias e fazendo a língua evoluir.

O primeiro livro sobre o esperanto foi lançado em 26 de julho de 1887, em russo, contendo as 16 regras gramaticais, a pronúncia, alguns exercícios e um pequeno vocabulário.

Em 1905 aconteceu o primeiro Congresso Universal de Esperanto, em Bolonha, na França, juntando quase mil pessoas, de diversos povos. Em 1906 foi fundado no Brasil o primeiro grupo esperantista, o Suda Stelaro em Campinas, 19 anos após o surgimento da língua.

Na Segunda Guerra Mundial as tropas de Stalin na Rússia, Hitler na Alemanha, Japão e China perseguiram e mataram os esperantistas, até a família de Zamenhof foi dizimada.

Em janeiro de 2011, mais de 140.000 esperantistas índice maiores do que os de muitas línguas étnicas. Fonte: Wikipédia.

Comentário: É muito triste vivermos como irmãos, no mesmo planeta, e não sabermos nos comunicar com todas as etnias, nos tornou pessoas diferentes uma das outras pela linguagem. Vivemos numa verdadeira Torre de Babel.

Nenhum país até agora se interessou pelo Esperanto como uma língua universal e estão querendo universalizar o idioma Inglês por causa do domínio político dos EUA, isso é monopolizar a língua pátria (inglesa), e obrigar as outras nações a utilizarem em sua educação como se fosse uma prioridade de uma nação poderosa sobre o domínio das outras.

O Esperanto sim deveria ser usado na educação de todos os países porque é uma língua neutra, que não fere nenhum princípio e nem estabelece uma prioridade linguística de uma nação sobre outras.

Se Hitler tivesse dominado o mundo como era o seu desejo, hoje o mundo estaria falando o idioma alemão ou germânico, e ainda hoje, continua sendo o intento de muitas nações poderosas, impondo seu poder político, econômico, social, financeiro e idiomático sobre as nações dominadas.

Todas as pessoas que estudam o Esperanto acham parecidas com sua língua natal, por que isso? Porque Zamenhof porcurou de maneira inteligente, pesquisar todos os idiomas e tirar delas as palavras mais comuns entre vários outros idiomas. Zamenhof foi um idealista humanitário, um sonhador que queria unificar todos os povos num só idioma.

Infelizmente, o egoísmo dos povos e das autoridades não deixou que esse altruísmo chegasse a se realizar, transformando numa utopia essa grande iluminação e genialidade.

Por que as autoridades mundiais não adotam o Esperanto no ensino educacional? O Esperanto seria uma segunda língua paralela para a humanidade e facilitaria a comunicação universal sem deixar de falar o seu próprio idioma.

Por que as pessoas do mundo inteiro que sabem a língua Esperanto, não começam a ensinar ao povo em seus países, independente do desejo político? Não devemos deixar que esse idioma venha a desaparecer e nem manchar a glória do seu idealizador que foi por demais altruísta.

Vamos realizar o sonho de quem sonhou com um mundo melhor através do idioma, não devemos deixar o Esperanto (que é a esperança do mundo) cair no ostracismo; de um ideal tão sublime.











Por: Ernani Serra
Pensamento: A vida é uma eterna rotina, como é, a rotação e translação da Terra.
Ernani Serra