Leitores Online

31 de out de 2011

Casa de Ferreiro Espeto de Pau



O subsecretário para a África e o Oriente Médio do Ministério das Relações Exteriores do Brasil, Paulo Cordeiro, ao desembarcar em Trípoli, capital da Líbia, ao conversar com autoridades do Conselho Nacional de Transição (CNT), convenceu-se de que o país se reestruturará e a razão prevalecerá.

Enviado pelo ministro das Relações Exteriores, Antônio Patriota, para informar aos líbios que o Brasil quer ter uma relação de amizade e cooperação.

O governo do Brasil vai ajudar a Líbia enviando arroz, medicamentos, materiais e equipamentos hospitalares, além de dar suporte para a retirada de minas terrestres no país. Segundo o embaixador Paulo Cordeiro, o próximo passo do governo é reabrir a Embaixada do Brasil na Líbia.

As empresas brasileiras atuam na Líbia na ampliação de aeroportos, no saneamento urbano, na construção de infraestrutura. Fonte: Jornal do Brasil.

Comentário:
Caiu um ditador, Muammar al-Gaddafi ou Kaddafi, prepotente, orgulhoso, todo poderoso, senhor da vida e da morte, que se achava intocável, jamais, pensou que um dia ia ser perseguido e arrastado pela turba de seu próprio país (Líbia) que o linchou pelas ruas em situação humilhante como se fosse um verme ou um cão hidrófobo, desrespeitando as Convenções Internacionais.

A nova estratégia dos EUA é utilizar o próprio povo para derrubar os governantes, que torna mais barato o serviço, do que invadir com militares e armamentos bélicos e também, poupar as vidas dos norteamericanos e que, se exploda as vidas civis dos manipulados para a guerra revolucionária.

Agora vem o governo brasileiro tirando o pão de cada dia do seu povo para dar dias melhores aos estrangeiros.

Enquanto aqui os aeroportos deixam muito a desejar e faltam verbas, sobram verbas para ajudar a Líbia nas construções de aeroportos.

Aqui falta saneamento básico e infraestrutura, mas o governo brasileiro vai aplicar verbas nesses serviços na Líbia.

Aqui o arroz está muito caro por vários motivos, inclusive por falta de abastecimento com relação ao consumo, mas lá vai o Brasil mandar o nosso arroz para a Líbia, enquanto uma grande parte de nosso povo passa fome.

Vamos mandar para a Líbia medicamentos e materiais e equipamentos hospitalares, enquanto isso, o serviço de saúde brasileiro se encontra há décadas ou centenas de anos abandonados a própria sorte. O Sistema Único de Saúde (SUS) está esquecido do programa governamental, faltando medicamentos e equipamentos hospitalares e o povo sendo atendido pelos corredores como animais de rua, e não é só em um Estado, mais em todos os Estados do Brasil, esse desabastecimento e maus serviços são corriqueiros dentro da saúde pública.

Onde estão esses medicamentos que não chegam aos hospitais do Brasil?

Por que tanto desprezo ao serviço de saúde (SUS)?

Medicamentos e verbas o Brasil tem para outros países e por que não tem para os brasileiros?

Incógnita, já dizia Jânio Quadros que sofria pressão das forças ocultas.













Por: Ernani Santos Cunha Serra
Pensamento: Se a dor te ferir a cada golpe fundo, domine as lágrimas e sorria, porque elas não são as que rolam pela face, mas as que deslizam pelo coração.
Ernani Serra