Leitores Online

17 de out de 2011

Maria Vitória


Essa é uma história real de um anjo que veio ao mundo por poucas horas de nascida, vindo a falecer, mas trouxe em sua bagagem espiritual uma grande missão, de melhorar as condições de transporte da APAE. Se esse anjinho chamada de Maria Vitória não tivesse nascido não haveria essa história.

A sua mãe ficou grávida e muito feliz com o acontecimento, mas só que, depois de alguns meses, os pais ficaram sabendo que Maria Vitória era portadora da Síndrome de Down ou Trissomia do cromossoma 21, é um distúrbio genético causado pela presença de um cromossomo 21 extra total ou parcialmente. Recebeu esse nome em homenagem a Dr. John Langdon Down, médico britânico que descreveu a síndrome em 1862.

A síndrome de Down é a forma mais freqüente de retardo mental causada por uma aberração cromossômica microscopicamente demonstrável.

Esse acontecimento foi à gota d’água para que o Sr. André Ricardo, Professor em Biologia, tomasse a iniciativa de se tornar um voluntário da APAE de Montes Claros em Minas Gerais. Ao ver a precariedade das crianças especiais principalmente no transporte coletivo que estava em péssimo estado e com mais de 20 anos de uso, onde as crianças eram amarradas nas cadeiras de maneira impróprias e as que não podiam se locomover era posto deitadas numa caixa.

Tudo isso levou o professor a defender essa causa para melhorar o transporte dessas crianças e fez um vídeo na internet, e nessa luta conseguiu o apoio de Luciano Huck, no programa dos sábados denominado de Lata Velha, que finalmente transformou o ônibus num veículo novo e com muito conforto.

Esse novo ônibus recebeu o nome de Maria Vitória.











Por: Ernani Serra
Pensamento: A palavra progresso não terá sentido enquanto houver crianças infelizes.
Albert Einstein