Leitores Online

3 de dez de 2011

Problemas financeiros na Europa


A crise com o déficit do EURO veio a agravar a sociedade européia.

Essa situação de falta do euro no mercado interno dos países em crise teve como causa, a má administração nos gastos governamentais que usou e abusou do dinheiro público com certa má fé, negligência ou incompetência.

Muitos desses políticos que gastaram e aplicaram indevidamente essas verbas em cronogramas superfaturados, sem um raciocínio lógico e patriótico, foram responsáveis por essa crise no Continente Europeu.

Nenhum ser humano é digno de total confiança quando o assunto é financeiro.

Os EUA estavam se sentindo desconfortável com a cotação do Euro (no câmbio) em alta, acima do Dólar.

Sendo os EUA uma potência de 1º mundo e a líder mundial, não seria concebível que o Euro tivesse a supremacia sobre o Dólar.

Quando o Euro estava abarrotando os cofres das nações e os políticos fazendo a farra sem sobrar nada para o povo, não havia crise, bastou o Euro desaparecer para que a crise evoluísse e esses países caíssem nas mãos dos banqueiros internacionais e do FMI.

Os políticos responsáveis por essas nações deficitárias continuaram com seus status intocáveis, mas quem está pagando o pato é o povo que têm que apertarem os cintos por muitos anos.

Só houve essa crise financeira porque não houve uma fiscalização governamental nos gastos orçamentários, o governo abusou da moeda e sacrificou o povo.

Os banqueiros internacionais estão injetando nesses países em crise uma quantidade enorme de Euros para que haja circulação da moeda, mas mesmo assim, se não houver uma comissão estabelecida para fiscalizar a circulação dessa moeda, não só, nos países críticos mais também em todos os países que estão circulando o Euro.

Faz-se necessário a criação de uma comissão para estudar periodicamente o balancete de todos os países do Euro, deve também, estabelecer a cada país uma meta de gastos por ano e assim, continuar a equilibrar o valor cambial do Euro sem haver déficit e sim, crédito e estabilidade monetária.











Por: Ernani Serra
Pensamento: O que faz andar o barco não é a vela enfunada, mas o vento que não se vê.
Platão