Leitores Online

14 de jan de 2012

Brasil Caleidoscópio


O Brasil é um país generosíssimo com tetas enormes onde centenas de pessoas vivem a mamar e a sugar esse lácteo, ó liberdade e com mais amores.

O Brasil é o país mais rico do mundo, nenhum país conseguiu construir uma Capital como Brasília em quatro anos, bateram Recorde, na época os jornais do mundo inteiro comentava essa façanha, e ainda esnobou na arquitetura moderna.

Construiu a Ponte Rio Niterói mais extensa do país; está para construir 16 hidrelétricas de grande porte na Região Norte, sem falar na Hidrelétrica de Itaipu.

Estamos construindo estádios de futebol, estradas, metrôs e uma infraestrutura bilionária em todo país para receber a Copa do Mundo em 2014 e as Olimpíadas em 2016.

O país é generoso, está prometendo ajudar o FMI com uma verba milionária, o país se tornou credor dos credores. Esse país não empresta dinheiro ele dá dinheiro aos países africanos e haitianos, é uma mãe para os estrangeiros, não sei onde vão buscar tanto dinheiro, parece até que existe um rei Midas nos poderes públicos.

Vá ter tantas verbas assim na p.q.p., como dizia Dercy Gonçalves.

Agora quando é para beneficiar o povo, os funcionários e militares, o rei Mida está morto, não há dinheiro e nem onde buscar.

Apesar de toda megalomania ainda têm os políticos corruptos que sugam as tetas como uma sanguessuga e nada lhes acontecem, num máximo perdem os ministérios, mais depois ganham outros cargos públicos por baixo do pano, e o dinheiro sugado não aparece e não vão presos, porque não são ladrões, é corruptos, isso é uma comenda de honra.

No Brasil os honestos se chamam corruptos e corruptores que sugam as tetas da vaca pública brasileira.

 










Por: Ernani Serra
Pensamento: A imprensa é à vista da nação. Por ela é que a nação acompanha o que lhe passa ao perto e ao longe, enxerga o que lhe malfazem, devassa a que lhe ocultam e tramam, colhe o que lhe sonegam, ou roubam, percebe onde lhe alvejam, ou nodoam, mede o que lhe cerceiam ou destroem vela pelo que lhe interessa, e se acautela do que ameaça.
Rui Barbosa