Leitores Online

25 de fev de 2012

Estado de Israel


O povo israelita vem avançando nos territórios árabes e conquistando quase toda Palestina e ocupou o território da Cisjordânia, as Colinas de Gola, Península do Sinai, a Faixa de Gaza e a do Egito.

Dar a Cesar o que é de Cesar.

Avançar num território alheio por meio das armas só vai gerar conflitos armados; isso só vai criar uma resistência do povo árabe contra o invasor israelita.

Israel nunca mais vai ter paz enquanto usar a força bélica para conquistar o seu inimigo, os árabes.

Parece que o Estado de Israel deseja avançar pelo território árabe até conquistar todo o Oriente Médio.

Só tem uma espinha atravessada na garganta do Estado de Israel; é o Irã. Esse país islâmico com o apoio da China e da Rússia está manipulando o enriquecimento dos materiais radioativos entrando na era atômica para fins pacíficos, que Israel, não acredita nessa hipótese pacifista.

Israel está querendo atacar o Irã com o propósito de evitar que aquele país consiga a fórmula da bomba atômica, mesmo que o Irã não tenha a bomba atômica, esse país pode comprar à China e na Rússia, meia dúzia de bombas atômicas, desde que, aqueles países que se dizem amigos do Irã desejem vender esses petardos nucleares.

Isso seria uma decretação de guerra mundial no Oriente Médio com a participação do EUA, OTAN, e Israel, contra o Irã, a China e a Rússia, talvez usando até o arsenal nuclear, onde não haveria vencidos nem vencedores.

Se a descoberta da bomba atômica tivesse acontecido na época do nazismo, hoje, o mundo era todo nazista. Apesar de a bomba atômica ter sido criado pelos cientistas nazistas, que se dividiram entre os EUA e a extinta União Soviética, hoje é a (Rússia), quando a Alemanha perdeu a II Guerra Mundial.

De lá para cá, o mundo vive numa corda bamba, pisando em ovos.

Uma guerra nuclear é o apocalipse da humanidade. Pouco ou nada vão restar desse conflito atômico.

Portanto, que o Estado de Israel pense bem no que vai fazer, em vez de inimigos, porque os israelitas não fazem a amizade com os árabes, e por que não constroem um mundo melhor para ambos naquela região?











Por: Ernani Serra
Pensamento: Às vezes me pergunto como pôde ter acontecido de eu ter sido o único a desenvolver a Teoria da Relatividade. A razão, creio eu, é que um adulto normal nunca pára para pensar sobre problemas de espaço e tempo.
Albert Einstein