Leitores Online

1 de fev de 2012

O Povo lincha o marginal e a Lei


O Brasil é o país que mais lincha no mundo.

A análise de como se dão essas atrocidades é dolorosa, mas reveladora e real.

A sequencia de agressões vai do apedrejamento à mutilação. É uma selvageria, uma barbárie, questão de pura maldade, é a população agindo por conta própria onde a Justiça não atua. O linchamento se dá sempre na classe pobre, com raras exceções.

O Estado do Pará e Salvador-BA estão sendo os recordistas em linchamentos nesses últimos meses. Apesar de outros Estados brasileiros também já ter feito essas barbáries com a classe pobre. É fazer justiça com as próprias mãos quando não há justiça presente.

Sob a perspectiva da lei, o linchamento é considerado homicídio qualificado, e a pena vai de 12 a 30 anos. O crime demonstra a falta de fé no poder público. O linchamento é muito difícil de provar, geralmente, há muita gente envolvida e não existe uma arma específica, o que dificulta o trabalho da perícia, além disso, a lei do silêncio que impera nesses casos protege os protagonistas.

Onde está a lei dos Direitos Humanos? A lei dos Direitos Individuais? Onde está a Justiça?

Todo mundo quer tomar a justiça em suas próprias mãos na execução de pobres famintos, sem instrução, que vivem na miséria, mas ninguém vê quem causa maiores males à população não é esses marginais que são os efeitos de uma causa crônica política, econômica, financeira, habitacional, educacional...

Enquanto os marginais atingem uma pessoa ou família, o Estado atinge toda população do Brasil e é responsável por essa marginalidade.

Quem é responsável pela criminalidade no país? O Estado que não dá estrutura para os cidadãos se tornarem homens de bem e está fazendo apologia a criminalidade através de leis arcaicas que não funcionam em benefício da sociedade e sim, dos criminosos, está havendo uma banalização ao crime.

Nesse ínterim, o maior criminoso é o Estado de Direito.

Os corruptos sejam eles políticos ou não, causam maiores danos ao povo do que um simples marginal e ninguém execra essas autoridades que marginalizam, inflacionam e aumentam a miséria social, e nem propõem ao linchamento público, esses sim, são as causas de uma sociedade miserável e bárbara.

O marginal age de maneira ativa e revolta a população, os políticos de maneira passiva que deixa o povo hipnotizado, anestesiado, acorrentado, e toda ira da sociedade em crise recai no pobre que comete crimes por não ter uma Justiça operante e com leis atualizadas em defesa da sociedade.

A sociedade está à mercê de duas classes destrutivas: os marginais e os políticos: negligentes e corruptos.










Por:Ernani Serra
Pensamento: Não cruze os braços diante de uma dificuldade, pois o maior homem do mundo morreu de braços abertos.
Bob Marley