Leitores Online

25 de abr de 2012

Guerra dos Juros


O corte da taxa básica de juros (SELIC) anunciado nesta quarta-feira (19/04/2012) pelo Banco Central faz com que, em alguns casos, o investimento na Caderneta de Poupança se torne mais interessante do que a aplicação em Fundos de Renda Fixa.

Como os juros servem de referência para os rendimentos dos Fundos de Renda Fixa, essa rentabilidade cai com o corte da SELIC. Esse tipo de aplicação é afetado, ainda, pela incidência de Imposto de Renda e das taxas de administração cobradas pelos bancos, o que não acontece com a poupança.

Assim, de acordo com a associação, quanto menor o prazo de resgate da aplicação e maior a taxa de administração cobrada pelo banco, maior é a vantagem da poupança na comparação com os fundos. Fonte: Site da Internet.

Comentário:
O Fundo de Renda Fixa que está sendo prejudicado pela baixa dos juros no mercado financeiro e consequentemente está prejudicando as aplicações dos Títulos Públicos do Governo e das Cadernetas de Poupanças.

Caso os recursos migrarem do Fundo da Renda Fixa para a Caderneta de Poupança, o Estado terá mais dificuldade de financiar as dívidas dos projetos do governo através dos Títulos Públicos.

Para resolver o problema, o governo vai ter que baixar a poupança do povo que já está no fundo do poço. O povo não pode ter nenhum ganho, só quem pode explorar o povo são os banqueiros com juros exorbitantes.

É preciso desatrelar todas essas aplicações bancárias que causam efeitos negativos à sociedade e ao governo.

Temos duas alternativas:

1º - O governo poderia aumentar os juros das Cadernetas de Poupanças atrelando ao Fundo de Renda Fixa para evitar a migração.

2º - Aumentar os juros do Fundo de Renda Fixa independente aos juros de poupança, (ambas ficando livres das interferências de juros no mercado), para evitar que haja emigração para a poupança.

Só assim, haveria equilíbrio e ninguém sairia perdendo e nem tendo prejuízo.


 








Por: Ernani Serra
Pensamento: O livre mercado não resolve tudo, até porque é manipulado. O mercado só vê demanda, não vê necessidades. Os mercados são cegos para as gerações futuras.
José Antônio Lutzenberger