Leitores Online

28 de mai de 2012

Nova Ortografia Brasileira


Essa nova ortografia da língua portuguesa foi assinada em Lisboa, em 16 de dezembro de 1990; o acordo foi aprovado pelo Decreto Legislativo nº54, de 18 de abril de 1995.

Esse guia foi publicado pela Academia Brasileira de Letras em março de 2009. Só em 2013 é que vai entrar em vigor de maneira oficial.

ALFABETO:

As letras k, w e y foram introduzidas e o alfabeto passa a ter 26 letras.

Não se usa mais o trema. O trema permanece apenas nas palavras estrangeiras e suas derivadas.

REGRAS DE ACENTUAÇÃO:

Não se usa mais o acento dos ditongos abertos éi e ói das palavras paroxítonas que têm acento tônico na penúltima sílaba. Exemplos:

Alcalóide/ alcaloide alcatéia / alcateia

Andróide/ androide apóia / apoia (V)

Apóio / apoio (V) asteróide/ asteroide

Asteróide/ asteroide bóia / boia

Celulóide/ celuloide clarabóia/ claraboia

Epopéia / epopeia idéia / ideia

Jóia / joia jibóia / jiboia

Platéia / plateia estréia / estreia

Essa regra é válida somente para palavras paroxítonas. Assim, continuam a ser acentuadas as palavras oxítonas e os monossílabos tônicos terminados em éis e óis. Exemplos: papéis, herói, heróis, dói (verbo doer), sóis etc.

Nas palavras paroxítonas, não se usa mais o acento no i e no u tônico quando vierem depois de um ditongo. Ex.: Baiúca/baiuca bocaiúva/bocaiuva

Se a palavra for oxítona e o i ou o u estiverem em posição final (ou seguidos de s) o acento permanece. Ex.: tuiuiú, tuiuiús, Piauí.

Se o i ou o u forem precedidos de ditongo crescente, o acento permanece. Ex.: Guaíba, Guaíra.

Não se usa mais o acento das palavras terminadas em êem e ôo(s). Ex. Abençôo/ abençoo, crêem/creem, dêem/deem, dôo/doo, (V.doar) enjôo/enjoo, lêem/leem, vôos/vôos.

Não se usa mais o acento que diferenciava os pares. Ex: pára/para, péla/pela, pêlo/pelo, pólo/polo, pêra/pera.

Ele pára o carro / ele para o carro.

Esse gato tem pêlos brancos / esse gato tem pelos brancos.

Ele foi ao pólo Norte / ele foi ao polo Norte.

Permanece o acento diferencial em pôde quando pôde é a forma do passado do verbo poder no pretérito perfeito do indicativo na 3ª pessoa do singular. Pode é a forma do presente do indicativo na 3ª pessoa do singular. Ex.: Ontem, ele não pôde sair mais cedo, mas hoje ele pode.

Permanece o acento diferencial em pôr quando for verbo e perde esse acento quando for preposição. Ex.: Vou pôr o livro na estante que foi feita por mim.

Permanecem os acentos que diferenciam o singular do plural dos verbos ter e vir, assim como de seus derivados (manter, deter, reter, convir, intervir, advir etc.). Ex.:

Ele tem dois carros / eles têm dois carros.

Ele vem de Sorocaba / eles vêm de Sorocaba.

Ele mantém a palavra / eles mantêm a palavra.

É facultativo o uso do acento circunflexo para diferenciar as palavras fôrma/forma. Em alguns casos, o uso do acento deixa a frase mais clara. Ex.: Qual é a forma da fôrma do bolo?

Não se usa mais o acento agudo no u tônico das formas (tu) arguis, (ele) argui, (eles) arguem, do presente do indicativo dos verbos arguir e redarguir.

Há uma variação na pronúncia dos verbos terminados em guar, quar e quir, como aguar, averiguar, apaziguar, desaguar, enxaguar, esses verbos admitem duas pronúncias em algumas formas do presente do indicativo, do presente do subjuntivo e também do imperativo; se forem pronunciadas com a ou i tônicos, essas formas devem ser acentuadas. Ex.: verbo enxaguar: enxáguo, enxáguas, enxágua, enxáguam, enxágue, enxágues, enxáguem.

Verbo delinquir: delínquo, delínques, delínque, delínquem, delínqua, delínquas, delínquam.

Se forem pronunciadas com u tônico, essas formas deixam de ser acentuadas. Ex.: verbo enxaguar: enxaguo, enxaguas, enxagua, enxaguam, enxague, enxagues, enxaguem. Verbo delinquir: delinquo, delinques, delinque, delinquem, delinqua, delinquas, delinquam.

Atenção: no Brasil, a pronúncia mais corrente é a primeira, aquela com a e i tônicos.

Obs.: Continua na Crônica de nº 02 sobre o tema HÍFEN.










Por: Ernani Serra
Pensamento: Vejo um livro, como um buquê de letras, distribuído nos ramalhetes de palavras.
Elanklever