Leitores Online

30 de jun de 2012

Caça aos Pedófilos


As investigações começaram em 2011, pela Polícia Federal do Rio Grande do Sul.

A Operação Dirty-Net já chega a 10 em 11 Estados e no Distrito Federal.

Já foram cumpridos 50 mandados de busca e apreensão e 15 mandados de prisão. Ao todo, até o presente momento, 32 pessoas foram presas durante a operação da Polícia Federal realizada com apoio do Ministério Público Federal e da Interpol.

Segundo a PF, integrantes do grupo trocavam arquivos contendo cenas degradantes de adolescentes, crianças e até bebês em contexto de abuso sexual.

No Ceará, houve a prisão de Rodrigo Vieira Emerenciano, (humorista e radialista conhecido como Mução), foi preso nesta manhã de quinta-feira (28/06/2012) acusado de divulgação de pornografia infantil na internet.

A prisão temporária de Mução é de cinco dias, podendo ser prorrogada. A Polícia Federal, no entanto, devido ás provas já obtida em e-mails e no cruzamento de informações durante as investigações, iniciadas em dezembro, pode mudar para preventiva.

De acordo com a polícia, além da troca de arquivos, foram identificados ainda relatos de outros crimes praticados pelos envolvidos contra crianças, inclusive com menção a estupro cometido contra os próprios filhos, sequestros, assassinatos e atos de canibalismo.

Conforme mostraram as investigações, os integrantes do bando no Brasil compartilhavam material de pornografia infantil com usuários da internet em mais de 34 países. A Polícia Federal já comunicou através da Interpol os países envolvidos para que os seja dado prosseguimento às investigações, a fim de identificar todos os envolvidos.

Essas redes “abastecem-se” de crianças provenientes de todo o mundo, frequentemente da Europa de Leste, do Norte de África e da Améica Latina. Os vídeos são alugados por 40 ou 50 Euros, mas alguns podem atingir 1.500 ou 15.000 Euros.

A grande maioria das redes está protegida às mais altas nível que são: magistrados, políticos, poderosos homens de negócios.

Em 2007 na França foram detidas 132 pessoas possuidoras deste tipo de fotografia, que se abasteciam num único servidor mais de 10.000 pessoas tinham descarregado, num total de 1,4 milhões de fotografias e 27.000 vídeos, para existir tal quantidade de material têm de existir poderosas redes de pedofilia por trás. Fonte: Internet.

Comentário:

Isso é apenas a ponta do iceberg (montanha de gelo no mar), existe uma infinidade de sujeiras escondidas nas páginas da internet, com canalhas no anonimato postando essas aberrações sexuais e muita gente poderosa apoiando.

A Polícia Federal, a Justiça e a Interpol devem ir a fundo para encontrar muito mais pedófilos nessas páginas de arquivo pornográfico.

Devem também, indiciar os responsáveis por essas postagens desses arquivos de conteúdo adulto e retirar todos da internet. Eles são tão pedófilos quanto os que postam esses arquivos pornográficos e devem responder pelo mesmo crime por ser conivente com esses vídeos e fotografias de sexo explícito.

Se eles não dessem oportunidade de postagem desses arquivos não haveria o crime de pedofilia, e se fossem honestos e responsáveis, não deixariam que fossem postados na internet. A cretinice e o crime são dos dois lados dentro da internet: o que envia a postagem, aquele que recebe e libera o conteúdo pornográfico para o público na internet.

Os internautas que tiveram acesso a essas páginas não são pedófilos, são curiosos que receberam desses sites a autorização para ver essas aberrações sexuais, portanto, não são pedófilos.

Esses sites de conteúdo adulto vêm misturando os vídeos e fotografias de pedofilia, estupros consentidos, sexos explícitos dentro de um só pacote para visualização do internauta.

Não cometam o crime de prender os efeitos e deixando as causas impunes.










Por: Ernani Serra
Pensamento: Há certo prazer na autocrítica. Quando nos censuramos, achamos que ninguém mais tem o direito de fazê-lo.
Oscar Wide