Leitores Online

24 de jun de 2012

Criogenia - Ficção Ciêntífica


A criogenia é um ramo da físico-química que estuda tecnologias para a produção de temperaturas muito baixas (abaixo de -150ºC, de -238ºF ou de 123 K), principalmente até a temperatura de ebulição do nitrogênio líquido ou ainda mais baixas, e o comportamento dos elementos e materiais nessas temperaturas sendo que a tecnologia usada explora os efeitos de transferência térmica entre um agente e o meio.

Esse ramo da ciência que é constantemente associado com seu principal ramo, a criobiologia, que é o estudo de baixas temperaturas em organismos.

Além das escalas de temperatura comuns como: Fahrenheit, Celsius e Kelvin; os criogenistas usam outras escalas de temperatura, como a de Rankine.

CRIÔNICA – é a preservação a baixas temperaturas de humanos ou mamíferos com o objetivo de serem reanimados no futuro. A criônica não é considerada como uma parte da criobiologia, uma vez que continua dependente em grande parte de especulações de tecnologia futura que pode ou não ser inventada. Fonte: Wikipédia.

O que é criogenia humana?

É a técnica de manter cadáveres congelados anos a fio para ressuscitá-los um dia. Hoje, isso já dá certo com embriões: óvulos fecundados podem ficar na geladeira com chances de sobreviver a um descongelamento.

A ideia é fantástica: você morre e os médicos o colocam num tanque de nitrogênio líquido, guardado a -196ºC, temperatura em que o cadáver não apodrece. Mas o processo não é tão simples. Os próprios métodos usados para congelar uma pessoa causam danos às células que só poderiam ser reparados por tecnologias que ainda não existem, afirma o físico americano Robert Ettinger, considerado o grande divulgador da criogenia.

Por enquanto, o congelamento não funciona com pessoas porque o líquido que compõe as células vira gelo, aumentando de tamanho e fazendo-as trincar. Com os seres humanos desenvolvidos o problema é que cada tipo de célula exige uma substância protetora diferente, e muitas delas ainda não foram inventadas, diz o ginecologista Ricardo Baruffi. Fonte: Internet

Comentário:

No momento tudo isso não passa de um meio de extrair dinheiro desses fanáticos de vida eterna que veem na Ciência como um Deus todo poderoso.

Criogenia não passa de ficção científica, os médicos e cientistas estão fazendo do povo de cobaias, e cobaias muito rentáveis. No Brasil tem uma mulher que quer que o cadáver do seu pai seja resfriado nessas câmaras de ilusões e já vem gastando mais de cem mil reais, isso é um absurdo, é manipular a mente das pessoas com a enganação de vida eterna.

Isso é falta de Deus em sua fé cristã.

A Ciência quer provar com isso que não existe Deus nem alma viva e sim, um aglomerado de células e órgãos aleatórios que compõe o ser humano, a ciência está colocando a carroça na frente dos bois.

Muitas dessas fábricas de ilusões já fecharam e os corpos foram abandonados. Quem pode garantir que em 500 anos essas fábricas possam sobreviver. Os otários é que, perderam dinheiro, por serem criaturas de pouca fé. A Ciência quer chegar onde nunca vai chegar, nos segredos da criação de Deus, o ceticismo junto com o ateísmo da Ciência só vai dar em vielas científicas.

Por piedade divina a esta humanidade Deus concedeu alguns milagres na Ciência, mas o mérito não é do cientista, é de Deus, que enviou uma fagulha da sua inteligência Cósmica na mente humana.

Tudo foi criado por Deus com: princípio, meio e fim; nascemos, vivemos e morremos isso é uma lei imutável, ninguém pode alterar nem a Ciência. Nada se compara com a vida divina dada a todos os seres vivos: Vegetais e Animais. Vivemos pela misericórdia de Deus.










Por: Ernani Serra
Pensamento: O que Deus criou na Natureza é perfeito, belo, imutável, inimitável; o que o homem faz é uma distorção da Natureza Divina.
Ernani Serra