Leitores Online

3 de ago de 2012

Mensalão Corrupção Política


Escândalo do Mensalão ou “Esquema de compra de votos de parlamentares” é o nome dado à maior crise política sofrida pelo governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) em 2005/2006 no Brasil.

No dia 14 de maio de 2005, aconteceu a divulgação pela imprensa de uma gravação de vídeo na qual o ex Chefe do DECAM/ECT, Maurício Marinho, solicitava e também recebia vantagem indevida para ilicitamente beneficiar um falso empresário – na realidade o advogado curitibano Joel Santos Filho, o denunciante da corrupção, que para colher prova material do crime faz-se passar por empresário – interessado em negociar com os Correios.

Segundo o Procurador Geral da República, Antônio Fernando Barros e Silva de Souza, na denúncia oficial que apresentou e foi acolhido pelo STF; o ex Deputado Federal Roberto Jefferson, então Presidente do PTB, acuado, pelo esquema de corrupção e desvio de dinheiro público, e com a divulgação do vídeo feito por Joel Santos Filho estava focado em dirigentes dos Correios indicados pelo PTB, resultado de sua composição política com integrantes do Governo. Divulgou, inicialmente pela imprensa, detalhes do esquema de corrupção de parlamentares, do qual faziam parte parlamentares da base aliada que recebiam, periodicamente, recursos do PT em razão do seu apoio ao Governo Federal.

Mensalão é o neologismo variante da palavra “mensalidade” para se referir a uma suposta “mesada” para os deputados para votarem a favor de projetos de interesse do Poder Executivo.

Roberto Jefferson acusou o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu de ser o mentor do esquema.

O Supremo Tribunal Federal (STF), entre 22 a 27 de agosto de 2007, iniciou o julgamento dos 40 nomes denunciados em 11 de abril de 2006 pelo Procurador Geral da República em crimes como:

Formação de quadrilha; peculato; lavagem de dinheiro; corrupção ativa; gestão fraudulenta e evasão de divisas.

O STF recebeu praticamente todas as denúncias feitas contra cada um dos acusados que passou a condição de réus no processo criminal.

Em 14 de setembro de 2005, o mandato de Jefferson, o delator do esquema, foi cassado perdendo seus direitos políticos por oito anos.

Em 1º de dezembro de 2005 foi à vez de José Dirceu ter seu mandato de Deputado Federal cassado pela Câmara dos Deputados.

Foi descoberto em julho de 2008, sobre uma investigação ao banqueiro Daniel Dantas, que o Banco Opportunity foi uma das principais fontes de recursos do mensalão. Através do Banco Opportunity Daniel Dantas era o gestor da Brasil Telecom, controladora da Telemig e da Amazônia Telecom. As investigações apontaram essas empresas de telefonia que injetaram R$ 127 milhões nas contas da DNA Propaganda, administrada por Marcos Valério.

Em 2011, a PF confirmou a existência do mensalão.

No Brasil, políticos, empresários, diretores de bancos, funcionários públicos e autoridades do governo federal constituíram uma quadrilha dividida em setores de atuação, para a prática de crimes contra o erário, e os mais diversos tipos de fraudes.

O conluio visava o desvio de recursos públicos, concessões de benefícios indevidos a particulares em troca de dinheiro e compra de apoio político, que se processava através da partilha de cargos em instituições públicas e da transferência periódica de vultosas quantias (de 30 a 60 mil reais por mês) a deputados: o mensalão. Fonte: Wikipédia.

Por: Ernani Serra
Pensamento: Quem muito quer tudo perde.
Dito Popular