Leitores Online

6 de set de 2012

Sete de Setembro - Independência !



Somos um país sem história própria, a nossa história é toda importada da Europa, temos alguns heróis mortos descendentes de portugueses.

A verdadeira história do Brasil está na casta indígena, um povo que já existia antes da chegada dos estrangeiros, um país sem nome, só com aborígenes vivendo nessas terras, e foram exterminados pela sua inocência em acreditar no homem branco e em sua religião católica, representado na época por jesuítas que foram os responsáveis por chacinas indígenas, quando estavam em catequeses, chegavam os soldados do rei de Portugal e abatiam todos a tiros na frente dos jesuítas. Verdadeiras chacinas e armadilhas, sem falar nas guerras por países europeus querendo conquistar o Novo Continente jogando tribos contra tribos e assim, conseguiram exterminar milhões de etnias indígenas do litoral brasileiro, escapando somente os que viviam no Oeste do Brasil, e hoje essas tribos do interior brasileiro estão sendo dizimadas por ruralistas e por construções de hidroelétricas prejudicando a caça e pesca dos índios e deixando-os de esmolas ou a morrer de fome e tédio.

Essas demarcações de terras indígenas são uma farsa política, quando eles querem invadir o território dos índios, não pedem nem licenças para entrar, invadem e tomam tudo dos aborígenes. O governo demarcou algumas áreas indígenas, mas não lhes dão o direito de usufruir das riquezas dessas áreas demarcadas de usufruto. São verdadeiros campos de concentrações sob vigilância da FUNAI e do governo federal.

São povos que estão à mercê da política do homem branco e também da extinção por vários fatores como: doenças, extermínio por massacre de índios através de jagunços a mando de ruralistas, e da ambição dos garimpeiros em território indígena (invasão), que a FUNAI e a Polícia Federal não tomam as devidas providências e agora vem o governo a construir hidrelétricas em terras indígenas acabando de massacrá-los.

O Brasil recebeu dos portugueses, holandeses e franceses um legado da pior espécie, verdadeiros piratas que vieram com a intenção de saquear as riquezas desse território sem nome e sem fronteiras, cujos proprietários eram os índios inocentes. Povoaram o Brasil com gente da pior espécie europeia como: prostitutas, degredados, bandidos, analfabetos, nobreza foragida da guerra francesa...

Ainda por cima, tivemos um Príncipe D. Pedro I, analfabeto, epitelético, mulherengo, irresponsável, conforme a história contada pelo seriado O QUINTO DOS INFERNOS, sobre a vinda do império ao Brasil.

Os nobres na época eram todos quase analfabetos e se serviam dos seus conselheiros da corte que eram homens com estudo, sem falar também, que quase todos, tinham adquiridas doenças venéreas que na época não tinham curas.

O imperador D. João VI e D. Pedro I distribuíram títulos de nobreza aos brasileiros que lhes serviram, ou venderam essas honrarias aos brasileiros daquela sociedade sem terem nenhuma afinidade hereditária da corte.

D. João VI quando chegou ao Brasil se apossou das melhores residências e deixou os brasileiros indignados. Tudo que ele construiu no Brasil foi para seu conforto na sua longa estadia, quando voltou a Portugal limpou os cofres do Banco do Brasil, levando todo ouro.

O Grito do Ipiranga dado por D. Pedro I foi uma farsa para enganar os brasileiros que estavam em revolução em quase todos os Estados querendo a queda do império, com medo de perder o trono e deixar a coroa para um brasileiro, deu o Grito de Independência ou Morte. Os brasileiros morderam a isca, foi água na fervura.

Quando D. Pedro I ficou tísico pela sua promiscuidade não ficou no Brasil para morrer, voltou para Portugal que foi ovacionado no porto pelo povo e pela corte portuguesa. Se fosse realmente um traidor de sua pátria jamais teria voltado.

Quando pedimos seus restos mortais a Portugal, mandaram um caixão cheio de terra e ficaram com o coração de D. Pedro I no museu, mais uma prova de amor dos portugueses pelo seu príncipe herdeiro.

Hoje, comemoramos uma independência que não existiu na época. Fomos ludibriados.








Por: Ernani Serra
Pensamento: O fraco rei faz fraca a forte gente.
Luís de Camões