Leitores Online

27 de nov de 2012

Lilica a Cadela Solidária


A cadela Lilica enfrenta perigos de rodovia para alimentar outros animais. Há três anos, ela percorre dois quilômetros para garantir o jantar dos bichos. 

Moradora em um ferro velho, Lilica divide o espaço até com uma mula (Ruana).

Em meio a sucata de um ferro velho, em São Carlos (SP), descansa um exemplo de solidariedade. A cadela Lilica mora no local e divide o espaço com um cão, um gato, um galo, uma galinha e até uma mula. Todas as noites, os bichos têm o jantar garantido porque Lilica faz a parte dela.

Quando a tarde vai embora, a cadela cumpre rigorosamente uma missão. O destino é a casa da professora Lúcia Helena de Souza, que cria 13 cães e 30 gatos, todos recolhidos da rua. Depois de servir o jantar da turma, a professora prepara uma marmita para Lilica. “Eu percebia que ela comia e ficava olhando para o que tinha na sacola. Aí uma vizinha disse que dava a impressão de que a cadela queria levar o resto da comida. Aí nós amarramos a sacola e ela pegou e levou. Daquele dia em diante a gente faz isso”, conta a professora. O encontro é pontual, ocorre sempre por volta das 21:30 horas.

A cadela mata a fome, pega a sacola com o alimento separado pela professora e segue de volta para o ferro velho. São dois quilômetros de caminhada no acostamente de uma estrada bem movimentada. No escuro, a pista fica ainda mais perigosa, mas Lilica atravessa com segurança e em poucos minutos chega com o jantar dos outros animais. 

A catadora de reciclados Neile Vânia Antônio, que encontrou Lilica abandonada ainda filhote na porta do ferro velho, pega a sacola e abre para todos os bichos do local comerem. O que sobra fica para o café da manhã. 

A história se repete todos os dias, há três anos. Dona Neile diz que desde que viu a cadela pela primeira vez percebeu que ela era diferente. “A gente que é humana não faz isso. Algumas pessoas até escondem e não querem dividir o que tem. Ela não, Lilica é um animal excepcional e solidária. Fonte: Site na Internet.

Comentário
Estamos num mundo atual de violência em todas as nações, onde não há mais solidariedade entre os humanos, “é a lei de murici cada um por si”, é esse egoísmo egocêntrico que está desestruturando toda a sociedade mundial. Ninguém tem piedade da miséria alheia, ninguém é capaz de ajudar o próximo, quem tem a infelicidade de cair no fundo do poço social se torna invisível e esquecido pela multidão que passa tão próximo ao problema e não se sensibiliza com a desgraça humana.

O homem está só neste aglomerado que se chama de sociedade insensível e desumana. 

Agora vem um animal irracional dando lição ao ser humano de solidariedade e amor, demonstrando carinho, amizade e preocupação com o próximo de sua espécie animal, isso sim, é um símbolo de sociedade irracional que a torna superior aos animais racionais. É um irracional dando lição ao homem como se deve viver em sociedade de maneira fraternal, uns ajudando aos outros e matando a fome e a sede sem interesses mesquinhos.

O ser humano acha esse comportamento animal muito bonito, mas não tem coragem de por em prática, ficam acovardados diante de é dando que se recebe.







Por: Ernani Serra

Pensamento: O Exército pode passar cem anos sem ser usado, mas não pode passar um minuto sem estar preparado.
Rui Barbosa