Leitores Online

21 de dez de 2012

Tráfico de Crianças


O tráfico de crianças é uma das formas de tráfico, é uma prática de seqüestro, desaparecimento e ocultação da identidade das crianças, muitas vezes por entregas clandestinas e adoções ilegais. É uma prática usada por gangues para financiamento. Ele também tem sido uma prática utilizada em regimes ditatoriais principalmente como uma forma de retaliação contra as mulheres ou famílias que não são leais ao regime.

Diariamente, em várias partes do mundo, há crianças que são compradas, vendidas e transportadas para longe de suas casas. Tráfico de seres humanos é um negócio multimilionário que continua a crescer em todo o mundo, apesar das tentativas para pará-lo.

O trafico de crianças é uma das mais graves violações dos Direitos Humanos no mundo de hoje e aparece em todos os países. A cada ano, centenas de milhares de crianças são contrabandeadas através das fronteiras e vendidas como objetos e não sujeitos de direito.

Cerca de 5000 queixas de roubo de crianças foram apresentadas entre 2008 e 2010, em três anos, apenas no México.

Um relatório do Comitê Nacional para a Holanda UNICEF revela que os indicadores encontrados importantes do tráfico de crianças na Holanda para diversos fins (prostituição, serviço doméstico, trabalho escravo e atividades criminosas).

Durante a ditadura na Argentina (1976 – 1983) houve sequestros e desaparecimentos de bebês, muitas vezes filhos de pais contrário ao regime ditatorial.

A Associação de Avós da Plaza de Mayo estimada em 500 crianças que desapareceram em tais circunstâncias, e cuja identidade foi roubada, e é a principal organização para os Direitos Humanos na promoção dos cuidados de recuperação de buscas. Até setembro de 2010, 102 pessoas foram recuperadas que tinha sido traficadas ainda bebês.

Na Espanha o tráfico de bebês ocorreu principalmente durante o regime de Franco, em particular entre 1963 e 1970, embora tenha havido casos em que a democracia foi restaurada, mesmo até 1995. Nos primeiros anos da ditadura a prática foi repleta de ideologia, sendo filhos sequestrados de presos políticos e bancários das mulheres para dar às republicanas famílias conservadoras. A prática não se limitou ao regime, e os casos posteriores tornaram-se quadros puramente econômicos. Havia um mercado que exigia crianças para adoção e havia muitas pessoas que criaram um sistema para atender a essa demanda. Fonte: Wikipédia.

Depois do tráfico de drogas e de armas, o de pessoas é o ramo mais lucrativo do crime organizado. No mínimo 1,2 milhão de crianças são vendidas por ano no mundo. O UNICEF exige uma reação global para combater o negócio em franca expansão por meio da internet.

Os negócios com sequestros e escravidão de crianças, muitas das quais são forçadas a praticar a prostituição, cresceu também nos países ricos da União Europeia nos últimos anos.

São vendidas anualmente cerca de 120 mil crianças da Europa Oriental para a Ocidental. Avalia o UNICEF.
A ONG Terre des Hommes confirma que mais de um milhão de crianças são vendidas anualmente.

 As crianças vendidas para a Alemanha são em muitos casos exploradas sexualmente e forçadas a atividades criminosas, como roubar ou vender drogas, segundo a Terre des Hommes.

Outro ramo de trabalho dos traficantes é a adoção ilegal. Como mercadorias, crianças são oferecidas em catálogos na internet. As preferidas para adoção são brancas, saudáveis e recém-nascidas.

A fronteira entre Alemanha e República Tcheca tornou-se o maior bordel ao ar livre da Europa, onde se desenvolve um mercado próspero de prostituição infantil. Ele atrai sobretudo turistas alemães. As vítimas são também crianças na primeira infância.

Meninos e meninas de até seis anos de idade são oferecidos por proxenetas a estrangeiros, em sua grande maioria alemães, que vão a lugares como o povoado de Cheb, exclusivamente fazer sexo infantil.

Todos são homens de 18 a 80 anos de idade que destroem as vidas das crianças na idade de seus próprios filhos ou netos.

A polícia estima que existem aproximadamente 100 mil turistas sexuais na Alemanha e mais da metade deles procuram jovens e crianças no estrangeiro.

A UNICEF na Alemanha não apenas quer chamar atenção para o crime monstruoso, mas também quer pressionar o governo a ser um precursor no combate internacional ao negócio inescrupuloso do abuso sexual de menores.

A Alemanha tem uma legislação para punir alemães que cometam crimes de pedofilia no exterior. As autoridades alemãs permanecem impotentes, pois não podem fazer investigações em território tcheco e até agora não existem acordos bilaterais para a perseguição e punição de pedófilos. Do outro lado da fronteira, a polícia tcheca se mostra desinteressada em perseguir os criminosos. Fonte: Site na Internet.
 
Comentário
Onde estamos vivendo? A humanidade sem escrúpulos virou um depósito de lixo. Os que somos nesse mundo monstruoso e infernal que estamos construindo para o futuro de nossos filhos, não são santos, quando nada fazemos contra tudo isso, somos coniventes passivos que toleram essas aberrações sociais e, portanto participamos desses crimes indiretamente. 

Cada dia que se passa fico mais envergonhado das baixezas dos homens.

Só não ficam indignados os corruptos e políticos que lavam as mãos como Pilatos.







Por: Ernani Serra
Pensamento: Somos livres, não pertencemos a ninguém e não podemos querer ser donos dos desejos, da vontade ou dos sonhos de quem quer que seja.
Aristóteles