Leitores Online

7 de jun de 2013

Crueldade Diabólica


A Polícia Civil do Pará investiga uma denúncia feita por um morador de Santa Cruz do Arari, na Ilha de Marajó, de que uma campanha da prefeitura estimulou a população a exterminar cães pelas ruas da cidade. Segundo a acusação, a prefeitura teria oferecido de cinco a dez reais para moradores capturarem cães abandonados.

De acordo com reportagem do SBT, a prefeitura pretendia retirar os animais da rua para evitar ataques e doenças. O denunciante, cujo nome foi mantido em sigilo pela polícia, apresentou vídeos que mostram moradores – e até crianças – utilizando cordas para apanhar os animais.

Segundo o denunciante, os cachorros foram colocados em barcos. As imagens, gravadas no dia 28 de maio, mostram alguns animais mortos boiando em um rio.

O caso foi encaminhado para a Delegacia do Meio Ambiente do Pará (Dema), que enviará uma equipe a Santa Cruz do Arari para apurar a ocorrência.

O denunciante ainda relatou à polícia que foi agredido por um segurança do prefeito da cidade, Marcelo Pamplona (PT). A reportagem não conseguiu contato com o prefeito. Ao SBT, a prefeitura admitiu promover uma campanha para remover cães das ruas do centro da cidade.

Uma medida de saneamento adotada pelo prefeito de Santa Cruz do Arari, no arquipélago do Marajó, no Pará, provocou polêmica: cerca de duzentos cães foram capturados por servidores municipais e enviados para a zona rural da cidade, no último dia 28 de maio. De acordo com Marcelo Pamplona, prefeito da cidade, a ação ocorreu porque havia muitos cachorros nas ruas, o que provocava sujeira e transmitia doenças para a população.
     A iniciativa da prefeitura desagradou moradores. De acordo com denúncias, até mesmo animais com donos foram capturados, e muitos teriam morrido por maus-tratos. Vídeos registram cachorros sendo laçados até por crianças, que teriam recebido dinheiro para caçar os animais.

Estavam pagando R$ 5,00 pelos machos e R$ 10,00 para as fêmeas, conta o cozinheiro Aragonei dos Santos, de 29 anos, que fez os flagrantes.

As imagens mostram ainda um curral com animais presos por cordas e outros levados até de canoas, amarrados e amontoados em um pequeno porão da embarcação. O vídeo registra também os animais sendo agredidos e outros mortos, sendo jogados no rio, e alguns sobreviventes, que tentavam sair da água.

Aragonei conta que teve seus cinco cães levados por agentes da prefeitura. Avisado por vizinhos, ele foi em busca dos animais. Peguei uma câmara e fui atrás. Consegui salvar, mas fui ameaçado.   Homens me seguiram quando eu estava no trapiche e me espancaram, denuncia o cozinheiro, que sofreu um ferimento na cabeça, que precisou ser saturado.

O morador conta ainda que tentou registrar a agressão na delegacia da cidade, mas não conseguiu porque ninguém quis fazer a ocorrência.    Para conseguir o BO, ele se dirigiu até o município vizinho, Cachoeira do Arari, e no último sábado (1º de junho), fez um boletim de ocorrência do caso e passou por exames médicos da perícia que constataram a agressão. Fonte: Site G1 PARÁ – REDE LIBERAL.

     Comentário
Se o prefeito alega que há um número muito grande de animais e a exterminação é a solução para evitar sujeiras, ataques e doenças; se faz isso com os animais, então vão fazer com os mendigos que proliferam no país que fazem sujeiras, às vezes atacam e proliferam doenças humanas.

O animal que deveria ser extinto na natureza deveria ser o ser humano que de humano não tem nada, são verdadeiros monstros a destruir tudo e todos, verdadeiros cupins antissociais.

O que está faltando nesse mundo maligno é de humanidade, os animais são iguais, não! São superiores aos humanos, só são iguais quando tem fome, sede, sente tristeza, depressão, estresse, dor, e diferente quando dá amor a quem lhes dá carinho e são amigos fieis coisa que o homem não é.

Esse prefeito e quem estão ajudando nessa matança sem dó nem piedade é um protótipo de uma sociedade bárbara com uma camuflagem de seres humanos, são lobos em peles de ovelhas.

As pessoas tem que ver os animais como eles são; seres vivos, e respeitá-los e conviver com eles no meio ambiente. 

Esses monstros que estão exterminando os animais deveriam passar pelo mesmo processo para ver se é bom fazer maldades com os animais.    É pena que não exista a Lei de: olho por olho, dente por dente.  




Por: Ernani Serra
Pensamento: A vida é uma dádiva de Deus e uma bênção da natureza. O homem não tem o direito de exterminar a vida na natureza.
Ernani Serra