Leitores Online

4 de jun de 2013

Vigorexia


A vigorexia é uma alteração no comportamento que se enquadra entre os transtornos dismórficos corporais. Isso quer dizer que é uma desordem intimamente ligada a uma imagem distorcida do próprio corpo. Alguns autores usam a terminologia Transtorno Dismórfico Muscular no quadro de transtornos obsessivo-compulsivos, outros assemelham a Vigorexia à Anorexia, no sentido de que ambas seriam patologias narcisistas. Existem, ainda, autores que atentam para a ausência de critérios diagnósticos para avaliar essas denominações. 

Em resumo, a vigorexia caracteriza-se pela distorção da autoimagem do corpo voltada para a questão da força. Os indivíduos vigoréxicos usualmente se descrevem como fracos, pequenos, mesmo tendo desenvolvido musculatura acima da média. O resultado é que acabam desenvolvendo a dependência pelo exercício físico e uma espécie de obsessão pelo corpo musculoso, uma vez que nunca se satisfazem com a condição em que se encontram, ou seja, nunca se sentem suficientemente fortes ou musculosos.

A preocupação excessiva com a massa muscular compreende inúmeras alterações comportamentais significativas na rotina, como: grandes períodos nas academias, levantamento de pesos cada vez maiores, uso de dietas comprometedoras como aquelas em que alguns alimentos são priorizados (proteínas, glicídios ou lipídios), o uso de suplementos alimentares ou ainda de esteroides anabolizantes. Fonte: Site Cuidhado.

Foi inicialmente classificada como um transtorno obsessivo compulsivo pelo médico Harrison Graham Pope Jr., professor de psicologia em Harvard, que a nomeou de vigorexia ou Síndrome de Adônis (em referência ao mitológico ideal de beleza masculina, Adônis). 

Pode-se dividir a vigorexia em dois grupos de acordo com seus principais sintomas:

     1 – Treinamentos excessivos e anabolizantes;
     2 – Obsessões pela aparência e insatisfação persistente.
     A prática exagerada de exercícios (sobrecarga de treino) pode causar:

Dores musculares persistentes; Fadiga persistente; Ritmo cardíaco elevado, em estado de repouso; Maior susceptibilidade a infecções; Maior incidência de lesões; Irritabilidade; Depressão; Perda de motivação; Insônias; Perda de peso; Menor desempenho sexual.

Imperfeições no corpo destes indivíduos que normalmente passam despercebidas para os outros, são descritos como grandes fontes de ansiedade e infelicidade para estes pacientes. Sua obsessão pelo corpo perfeito podem prejudicar sua vida profissional e relacionamentos, especialmente pela elevada testosterona, baixa autoestima e irritabilidade aumentarem sua agressividade.

Podem apresentar comportamento depressivo quando perdem volume muscular por algum motivo.

O consumo crescente de esteroides anabolizantes com fins puramente estéticos é associado a esta síndrome, o que levou países europeus a tratarem seu comércio com os mesmos critérios de drogas psicotrópicas. Correlatamente, proprietários de academias e instrutores da área sem escrúpulos aproveitam-se de tal mercado possível e constroem estruturas de contrabando e tráfico destes tipos de medicamentos. 

É comum o quadro de indivíduos do sexo feminino, que além do volume muscular extremamente grande, somam, pelo consumo de hormônios com caráter masculinizante, passam apresentar pelos incluindo barbas e perda de cabelos na cabeça além de aumento do volume dos grandes lábios da vulva e clitóris.

Os sintomas psicológicos incluem:

[Agressividade e raiva incontroláveis; Impulsividade; Ciúme patológico; Episódio maníaco; Delírios (de superioridade ou inferioridade); Confusão mental; Dificuldade de concentração; Problemas sexuais.]

No homem, há a diminuição ou atrofia do volume testicular, diminuição do número de espermatozoides, desenvolvimento de mamas, dificuldade ou dor para urinar e aumento da próstata, às vezes, irreversível. Fonte: Wikipédia. 




Por: Ernani Serra
Pensamento: A máfia da corrupção anula todas as leis jurídicas.
Ernani Serra