Leitores Online

2 de ago de 2013

A Banda podre da Cia


     CONTROVÉRSIAS E CORRUPÇÕES DE INTELIGÊNCIA.

A CIA é frequentemente acusada de envolvimento com o tráfico internacional de drogas na Ásia (especialmente no Afeganistão e no Vietnã) e América Latina (como ilustrado pelo seu longo e controverso envolvimento com Manuel Noriega no Panamá). A agência, comprovadamente, ofereceu apoio e proteção à produção e transporte de ópio, heroína e cocaína junto a grupos considerados anticomunistas (fato amplamente documentado em livros como The Politics of Heroin in Southeast Asia de Alfred W. McCoy).

Em 24 de agosto de 2009, documentos descrevendo parte das instruções do Programa de Tortura da CIA sendo praticado a partir de 2001, foram liberados através de uma ação na Justiça iniciada pela União Americana pelas Liberdades Civis (ACLU)

Os documentos mostram, segundo especialistas, vários casos de violação de Leis e Tratados Internacionais bem como de Leis Americanas. Uma investigação criminal acerca das atividades de tortura pela CIA foi também iniciada em 24 de agosto de 2009, pelo Procurador-Geral dos Estados Unidos, Eric Holder. 

Em 1993, o Escritório Central da CIA foi atacado por Mir Aimal Kansi, e dois funcionários da CIA foram mortos – Frank Darling e Lansing Bennett.

Os documentos chamados de (“The Jóias da Família Jewels”) e outros documentos revelam atividades ilegais da CIA incluindo o envolvimento em atividades policiais domésticas, das quais a CIA é proibida por Lei em participar.

A CIA esteve envolvida em várias atividades ilegais de pesquisa em seres humanos com resultados devastadores para suas vítimas (Projecto MKULTRA).

Recentemente a CIA tem estado envolvida em uma série de controvérsias ligadas a tortura e assassinatos tanto em Guantánamo, Cuba, como nos chamados “buracos negros”.

     ENVOLVIMENTO EM GOLPES DE ESTADO
Articulação da deposição de líderes eleitos em vários países da América Latina; 

A deposição do Dr. Mohammad Mossadegh, Primeiro Ministro do Irã e o golpe de Estado que leva o Xá ao poder em 1953;

Financiamento dos opositores ao regime de Salvador Allende, favorecendo o golpe militar de 11 de setembro de 1973 no Chile que resultou na Ditadura do General Augusto Pinochet, posteriormente processado por Crimes contra a Humanidade, bem como outros golpes de estado na América Latina; 

Financiamento dos contras da Nicarágua inclusive utilizando dinheiro vindo do tráfico de cocaína;

Ações antissoviéticas no Afeganistão, tendo armado os Talibãs (e treinado Osama Bin Laden);

Assassinato de líderes políticos e militares de esquerda como foi o caso de Che Guevara;

Fabricação de provas falsas quanto a existência de Armas de destruição maciça no Iraque visando criar as justificativas para a Guerra no Iraque;

Tortura de inocentes que a CIA rotulou como terroristas da Al Qaeda e cujas acusações foram posteriormente verificadas como falsas;

Criação de bases secretas no Leste Europeu, no Oriente Médio e África para tortura e desaparecimento de prisioneiros de guerra em patente violação às Leis Internacionais (tortura é crime contra a humanidade);

Perda do rastro de Bin Laden e de outros líderes da Al Qaeda e do Taliban;

Criação de uma rede de voos clandestinos para o transporte para locais de tortura de vários indivíduos que a CIA acusava de terroristas;

Recentes revelações de que a CIA omitiu do Congresso e Senado Americanos informações sobre a criação de um programa de assassinatos vigilantes a serem executados em qualquer país e sem qualquer verificação legal de tais atividades ou da inteligência envolvida em tais execuções.

Em 1º de maio de 2011 foi confirmada a morte do terrorista Osama Bin Laden.

De acordo com a ABC News, atuais e ex-oficiais da CIA têm revelado detalhes do Programa de Tortura criado pelo governo de George Bush e implementado pela CIA. 

Entre as várias técnicas de tortura visando “quebraro prisioneiro, incluem-se:

Afogamento, choques elétricos, espancamentos, ameaças contra a pessoa e contra a família, estupros e ameaçam de estupro, e várias outras.

As estratégias de tortura da CIA foram desenvolvidas ao longo de anos (ver MKULTRA) e mais recentemente resultaram do trabalho para a CIA de vários profissionais que se dedicaram a desenvolver métodos de tortura. Entre estes se destacam os psicólogos militares James Elmer Mitchell e Bruce Jessen que estão atualmente sob investigação.

As técnicas de tortura adotadas pela CIA se baseiam, entre outros, em experimentos feitos pelo psicólogo Martin Seligman em que cachorros eram colocados em jaulas e submetidos a choques elétricos severos até o ponto em que os animais já não apresentavam qualquer capacidade de resistir aos choques elétricos. Essa técnica de tortura foi denominada “aprendizado em impotência” (“learned helplessness”).

Muitas das outras técnicas de tortura utilizadas pela CIA constituem degradação e humilhação de acordo com a Convenção de Direitos Humanos das Nações Unidas.

     USO DE MERCENÁRIOS (BLACKWATER USA)
Em 19 de agosto de 2009, o jornal New York Times revelou que a CIA (Central Intelligence Agency) contratou a firma Blackwater USA para realizar o programa secreto de assassinatos que a CIA seria legalmente impedida de realizar.         Grande parte dos detalhes sobre os acordos da CIA com a empresa Blackwater não foi revelada.

A Senadora Dianne Feinstein, Democrata da Califórnia e que preside o Comitê de Inteligência no Senado, em 20 de agosto de 2009 se recusou a dar detalhes sobre o programa secreto, mas afirmou: “É fácil contratar terceiros para realizar o serviço pelos quais não se deseja aceitar responsabilidade”. Fonte: Wikipédia.




Por: Ernani Serra
Pensamento: A alegria está na luta, na tentativa, no sofrimento envolvido e não na vitória propriamente dita.
Mahatma Gandhi