Leitores Online

9 de ago de 2013

Demo+Cracia


     DEMO
Demônio é, segundo a mitologia cristã, um anjo que se rebelou contra Deus e que passou a lutar pela perdição da humanidade. Na antiguidade, contudo, o termo tinha outra conotação, referia-se a um gênio que inspirava os indivíduos tanto para o bem quanto para o mal.

Nos contextos judaico e islâmico, a ideia é diversa, até porque não se trata de um ente opositor ao Criador, mas de algumas criaturas a Ele subalternas. Na cércea do primeiro contexto, refere-se a um ser imperfeito que foi formado no sexto dia da Criação. Para o segundo, os demônios, ou jiin, são seres que coexistem com os seres humanos, dotados de livre-arbítrio, que são chefiados por Iblis.

     CRACIA
Quer dizer governo. O Governo é a organização, que é a autoridade governante de uma unidade política, o poder de regrar uma sociedade política e o aparato pelo qual o corpo governante funciona e exerce autoridade. O governo é usualmente utilizado para designar a instância máxima de administração executiva, geralmente reconhecida como a liderança de um Estado ou uma Nação. Fonte: Wikipédia

     Comentário
     DEMO+CRACIA tem o seguinte significado: Governo Diabólico.

A democracia é sinônima de corrupção. Os países capitalistas preferem esse tipo de governo porque os inseridos se tornam corruptos e corruptíveis e são peças fáceis para uma manipulação desonesta.

Os países que manobram com o mundo às vezes preferem uma ditadura militar ou civil quando todos estão dispostos a se corromperem e passarem a governar para os estrangeiros.     Quando o país não concorda com os interesses internacionais são alvos de intervenção e guerra civis e tornam o político persona non grata.

Numa democracia ou numa ditadura ninguém é dono de nada, são apenas proprietários por usufruto do governo, o governo controla tudo e tudo é do governo, e o povo não tem nada, tem apenas a falsa impressão ou ilusão de posse, mas, a qualquer momento que o proprietário de alguma coisa não pagar os seus impostos de maneira regular, essa propriedade é confiscada pelo governo, isso pode ser: uma casa, uma fazenda, um carro, um fornecimento de água, luz, etc. 

O povo é ludibriado nas urnas, pensam que está votando no candidato certo, mas na verdade os candidatos são escolhidos a dedo pelos partidos políticos, o povo vota no candidato já escolhido pelo crivo da censura eleitoral. Não existe essa de dizer: você não votou no político certo, para onde o eleitor correr o bicho pega. O povo pensa que manda na política por ter votado, mas quem manda mesmo, são os eleitos na política e fazem o que querem contra e com o povo. O povo se revolta e vão às ruas e fazem o quebra-quebra, mas o governo nem se abala, dá tempo ao tempo e fica tudo do jeito do governo.  Como o diabo gosta!

O governo é implacável e não perdoa dívidas internas contraídas pelo povo através de impostos, mas perdoa as dívidas externas.

Numa democracia dá mais margens de candidatos a corrupção por tempo determinado do que uma ditadura que só um homem manda no poder por tempo indeterminado, e as margens de corrupções por outras pessoas são nulas numa ditadura, enquanto numa democracia se generalizam.

Como os políticos numa democracia são pessoas do povo, mas não é para o povo, e que só tem poder durante um determinado tempo, então se tornam presas fáceis para a corrupção e ameaças, principalmente depois dos mandatos que os tornam mais frágeis as perseguições, e também pelo fato de serem inseguros preferem se corromper para conseguir uma fortuna ou estabilidade após o mandato.

Na democracia as leis são elaboradas para proteger os interesses dos poderosos, quem tem é quem manda nesse tipo de regime político.




Por: Ernani Serra
Pensamento: Manda quem pode, obedece quem tem juízo.
Dito Popular.