Leitores Online

5 de set de 2013

A Guerra dos Interesses Políticos


Como tudo no mundo, o ser humano tem dupla personalidade, que pode ser representado pelo positivo e negativo.

O homem tem um monstro que vive enjaulado dentro de si e quando esse homem libera esse monstro ele é capaz dos maiores crimes do mundo. Esse monstro é controlado pelo ensino do moral e da religiosidade quando não estão ligados a grupos políticos e quando estão esse monstro é liberado para fazer o mal. O homem de civilizado não tem nada, quanto mais avança na tecnologia mais bárbaro se torna.

Esse monstro toma conta da consciência e de todo o cérebro do ser humano que perde a noção do que é certo ou errado, ou o que é bom ou mau, mas se inclina para o lado ruim pela manipulação.

É o caso das guerras onde o monstro é liberado de maneira coletiva, (pela lavagem cerebral das etnias), pelos religiosos ou políticos…

Como exemplo, tem o caso da Síria onde ninguém se entende, os Estados Unidos acham que o ditador da Síria usou de armas químicas contra o seu próprio povo, mas até agora não conseguiu provar essa afirmativa, outros acham que foi obra de terroristas, ou ainda, pode ter sido uma articulação política interessado em promover uma guerra para vender armas e manipulou alguém para usar o gás de Sarin. 

Com esse histórico de guerra química os Estados Unidos não tem moral para criticar quem quer que seja que utilizou de gás de sarin na Síria.

Saddan Hussein também usou o gás de Sarin e Mostarda com o apoio e informações via satélite dos Estados Unidos contra as instalações militares iranianas e a movimentação de tropas de Teerã. Antes disso, os iraquianos já usaram gás mostarda e sarin desde 1983 quando os Estados Unidos eram governados por Ronald Reagan, presidente entre 1981 e 1989. Em 16 de março de 1988, durante o encerramento da Guerra Irã-Iraque, quando foram utilizadas armas químicas pelas forças do governo iraquiano na cidade de Halabja, no Curdistão iraquiano. O ataque matou entre 3.200 e 5.000 pessoas e feriu cerca de 7.000 e mais 10.000, a maioria civil.

Nenhuma mídia mundial criticou a ação bárbara dos  Estados Unidos apoiando a guerra química dos iraquianos, o mesmo aconteceu na II Guerra Mundial contra o Japão que sofreu dois ataques nucleares e cadê a ONU? O mundo se calou e foi complacente com essa ação monstruosa em nome da paz. 

Naquela época, ninguém foi a ONU denunciar a violação do tratado internacional por guerra química e não houve nenhuma invasão ao território iraquiano por conta desse crime monstruoso, porque foi com o consentimento e planejamento tático dos Estados Unidos.

Agora, houve um ataque químico na Síria que matou mais de 1.400 pessoas e o governo norte-americano se sensibilizou com o atentado e quer se unir a OTAN para atacar por conta desse episódio, independente da autorização da ONU. Se houver esse ataque quantas pessoas irão morrer? Muito mais do que já morreram. Isso tem lógica? Claro que não. É apenas mais um pretexto para invadir um território com a aprovação internacional, talvez, porque esteja incomodado com o avanço tecnológico da Síria e do Irã contra o grande amigo Israel. O país de Israel quer tomar toda aquela área da Palestina, já invadiu mais de 80% daquela região. 

A Rússia já está amarelando e querendo tirar o corpo fora do apoio que vinha dando aos sírios. O presidente da Rússia disse: “Se os Estados Unidos provassem que o ditador sírio fez esse ataque químico, ele aprovaria a intervenção armada norte-americana”. Que grande amigo, um verdadeiro amigo da onça, isso se chama de oportunismo.

Se a Rússia, a China, o Irã apoiarem a Síria contra os ataques aéreos dos aliados nas instalações militares da Síria, então teremos uma III Guerra Mundial com armas convencionais num teatro de operações do Oriente Médio. Aí o monstro se tornaria um gigante nos dois lados e a carnificina seria um banho de sangue no deserto árabe com milhares de familiares dos dois lados a sofrerem as perdas dos seus entes queridos. As guerras são as maiores insensatez do ser humano, que é o mais perigoso e cruel do reino animal, o homem é o único animal que mata pelo prazer de matar. Não tenha medo de nenhum animal selvagem perto de você mas tenha bastante medo do ser humano que está próximo.

Os norte-americanos acham que podem usar os aviões de caças bombardeiros, foguetes, e sair impune do território sírio; apesar de ter recebido do Congresso carta branca para atacar, mas, não sabem eles que estão caindo numa armadilha, será que a Rússia, a China e o Irã vai abandonar o seu aliado Sírio? Será que os norte-americanos vão mesmo atacar a Síria? O povo norte-americano não quer a guerra eles querem é a paz. Se os políticos representam o povo; por que vão de encontro com os desejos desse povo? Essa história de “governo do povo pelo povo” isso não passa de conversa fiada para enganar os otários, o que eles atendem são os interesses da classe política e econômica do país. Quem manda no mundo é o Capital.

Vamos esperar para ver como vai ficar aquele teatro de operações de guerra.




Por: Ernani Serra
Pensamento: Quase todos os homens são capazes de suportar adversidades, mas se quiser por à prova o caráter de um homem, dê-lhe poder.
Abraham Lincoln