Leitores Online

14 de set de 2013

Submarino Nuclear Brasileiro


Submarino de propulsão nuclear brasileiro é um submarino nuclear cuja fonte de energia é um reator nuclear, cujo calor gerado vaporiza água, possibilitando o emprego desse vapor em turbinas. Está sendo construído com a parceria da França e tem previsão para operação em 2020.

O projeto do submarino nuclear brasileiro remonta a década de 1970. Em um périplo de, aproximadamente, 20 anos, a Marinha do Brasil dominou o ciclo do combustível nuclear e pôde dar início a construção do reator nuclear que está sendo desenvolvido no Centro Experimental Aramar em Iperó, que será comportado no submarino. O trabalho de Projeto, que foi iniciado no dia 6 de julho de 2012, percorrerá um longo caminho.

Serão três anos para alcançar o projeto básico do submarino de propulsão nuclear, para então ter início a fase do projeto detalhado, simultaneamente com a construção do submarino em 2016, no estaleiro da Marinha que está sendo construído na cidade de Itaguaí no Rio de Janeiro.

A primeira embarcação será batizada de SN 10 Álvaro Alberto, em homenagem ao vice-almirante da Marinha brasileira e cientista brasileiro Álvaro Alberto da Mota e Silva.

O Brasil é um dos poucos países do mundo que detém um projeto para a construção de um submarino nuclear voltado exclusivamente para a caça de outros submarinos, que não carregará mísseis balísticos.

De acordo com telegrama vazado pelo Wikileaks, o governo dos Estados Unidos considera a tentativa do governo brasileiro de adquirir um submarino nuclear como um “ elefante branco politicamente popular”.

Geralmente os submarinos nucleares norte-americanos são bem maiores do que os submarinos convencionais, o que exige um desenvolvimento em termos de engenharia e capacidade tecnológica muito maior do que o necessário para fabricar submarinos convencionais. Isto porque o casco destes submarinos tem que ser muito maiores e mais resistentes, além da enorme quantidade de equipamentos eletrônicos e de vigilância, que necessariamente devem ser bem mais silenciosos do que o normal, para manter a característica furtiva destes submarinos. O primeiro submarino nuclear, o USS Nautilus tinha um deslocamento de 3.500 toneladas, quando a média dos submarinos convencionais tinha menos de 1.000 toneladas de deslocamento. Atualmente os principais submarinos nucleares no mundo têm mais de 5.000 toneladas de deslocamento. O submarino nuclear lançador balístico Trident II, de longo alcance, ou 154 mísseis Tomahawk na versão do submarino adaptada para lançador de mísseis guiados de cruzeiro.

Na Marinha dos Estados Unidos existem três tipos de submarino de caça em uso, o da classe Los Angeles, com capacidade de cerca de sete mil toneladas, o da classe Seawolf de 9.000 toneladas e, o submarino da classe Virgínia com 7.900 toneladas, todos com capacidade para lançar mísseis guiados de cruzeiro.

Na Marinha Russa estão ativados submarinos de caça como o Shchuka com deslocamento de 8.000 a 12.770 toneladas, o Delta IV com 10 mil toneladas e o Oscar I e II, com 16.500 a 19.400 toneladas, sendo que este último também tem capacidade para lançar até 24 mísseis de cruzeiro. O maior submarino nuclear lançador de mísseis balísticos já construídos, da classe Akula tem deslocamento de 33.000 a 48.000 toneladas e capacidade para 20 mísseis balísticos de longo alcance do tipo R-39 Rif (SS-N-20 Sturgeon). O novo submarino russo da classe Borei deve ter 24 mil toneladas de deslocamento e capacidade para levar 16 mísseis balísticos de longo alcance do tipo RSM-56 Bulava (SS-NX-30). Sem falar nos submarinos nucleares da Inglaterra, França, China, Índia Fonte: Wikipédia.

Comentário
As grandes potências nucleares já têm armas suficientes para destruir todos os seres vivos do Planeta. É só apertar o botão vermelho. Adeus vidas.




Por: Ernani Serra
Pensamento: As guerras são a autodestruição do homem pelo homem.
Ernani Serra