Leitores Online

22 de nov de 2013

Benefícios da Vitamina B12


A vitamina B12 é benéfica para qualquer pessoa, independente da idade. Ela combate a asma em crianças, dá esperanças contra o HIV em adultos e ajuda os idosos que acham que sua memória não está tão boa como antes.

As pessoas de mais idade que notam uma diminuição do funcionamento mental, mesmo com o surgimento da doença de Alzheimer, precisam consumir vitamina B12.

Especialistas descobriram que quando os sintomas mentais são tratados com a vitamina, dentro de seis meses do início, muitos deles desaparecem ou o problema melhora.

À medida que você envelhece, essa vitamina pode reverter à lentidão mental ou apenas ajuda-lo a ter uma boa noite de sono. Além de ajudar a diminuir a depressão nos idosos trabalhando com um composto que ajuda a produzir serotonina, o neurotransmissor responsável pela sensação tranquila de bem estar.

A B12 também tem um papel importante na produção de melatonina, hormônio responsável pela sua boa noite de sono. Conforme envelhecemos, o corpo fica menos eficiente na fabricação desse hormônio. 

A suplementação com esse tipo de vitamina ajudou alguns idosos a dormirem melhor.

Na outra ponta, as crianças com asma também podem se beneficiar com a vitamina B12. Injeções semanais de 1.000 mcg (microgramas) ou suplementos orais diários de 1 mcg a 3 mcg melhoram sua condição e resultam em menos ocorrências de falta de ar.

Os pacientes com AIDS normalmente apresentam baixos níveis dessa vitamina. Isso pode ser usado como um sinal de que a situação nutricional geral é baixa e que é necessário prestar atenção no consumo de todos os nutrientes. No laboratório, a vitamina B12, em qualquer forma, reduz a replicação do HIV. Esse tratamento é promissor e precisa ser testado em seres humanos.

Vários estudos mostram que a B12 aumenta drasticamente a contagem de espermatozoides nos homens cuja contagem é baixa. Além de dar início à ação dos espermatozoides, aumentando a velocidade da mobilidade.

As pessoas que têm aquele zumbido constante nos ouvidos, geralmente, têm deficiência da vitamina. A suplementação diminui esse zumbido irritante em alguns casos. Fonte: Site UOL.

A vitamina B12, também conhecida como Metilcobalamina, é usada oralmente para tratar desordens de sono, desordens psiquiátricas, envelhecimento, alergias, diabetes, problemas cardíacos, imunossupressão, perda de memória, aumento da concentração, doença de Alzheimer, esclerose múltipla, osteoporose, doença de Parkinson, entre outras.

A Metilcobalamina fornece grupos essenciais à síntese da mielina que isola as fibras nervosas e regenera danos nos neurônios. Numa deficiência de vitamina B12, os ácidos gordos tóxicos destroem a mielina que pode ser recuperada com doses elevadas de vitamina B12.

A vitamina B12 tem um importante papel relativamente aos glóbulos vermelhos, prevenindo e tratando a anemia, produzindo reações de metilação e de regulação do sistema imunitário.

A Metilcobalamina atua como cofator, convertendo homocisteína em metionina, reduzindo os níveis de homocisteína no sangue.     A homocisteína favorece o desenvolmento de complicações vasculares, pois predispõe o sistema nervoso central a uma maior susceptibilidade ao stress oxidativo.

A vitamina B12 participa também na síntese de S-adenosil-metionina, um nutriente que tem a propriedade de aumentar a boa disposição. Este composto é produzido a partir da metionina e do ATP, e é prescrito para terapias de várias condições, incluindo depressão, síndrome de fadiga crônica e fibromialgia.

Alguns estudos referem a importância da metilcobalamina na proteção contra doenças neurológicas e velhice. Alguma das desordens que podem ser tratadas com esta terapia, incluem: Doença de Parkinson, Doença de Alzheimer, distrofia muscular e velhice neurológica. A metilcobalamina protege contra a toxidade do glutamato. Fonte: Energia em Equlíbrio.




Por: Ernani Serra
Pensamento: Não se vive sem fé. A fé é o conhecimento do significado da vida humana. A fé é à força da vida. Se o homem vive é porque crê em algo. 
Leon Tolstoi