Leitores Online

7 de jan de 2014

Homenagem Póstuma a Nelson Ned


Nelson Ned d’Ávila Pinto nasceu em Ubá (interior de Minas Gerais) no dia 02 de março de 1947 e faleceu em 05 de janeiro de 2014; foi um cantor e compositor brasileiro de grande sucesso.

Nos anos 60 começou a se apresentar e gravar discos, inclusive nos países da América Latina, onde é extremamente popular. Com o repertório voltado para a música romântica, seus shows atraíam multidões em estádios e teatros.

Nelson Ned como compositor, já teve canções gravadas por: Moacyr Franco, Antônio Marcos, Agnaldo Timóteo e outros. O maior sucesso de sua carreira foi a canção Tudo Passará, de 1969, que obteve quarenta regravações, inclusive em versão sertaneja com a dupla João Mineiro & Marciano nos anos 1980, que no mesmo disco também gravaram de Nelson o hit “Se Eu Pudesse Falar Com Deus”.

Ganhou Discos de Ouro no Brasil, e tem em sua carreira um feito histórico, se apresentou no Carnegie Hall, em Nova York, feito que se repetisse por quatro vezes com lotação total.

A partir de 1990 passou a cantar canções evangélicas, após ter-se convertido ao neopentecostalismo, tendo conquistado um Disco de Ouro já no seu primeiro lançamento gospel.

Lançou em 1996 a biografia O Pequeno Gigante da Canção, uma referência à sua condição de anão (o cantor media 1,12 m de altura). No livro, ele contou que enfrentou depressão no auge de sua carreira, passou a beber e envolver-se com drogas (cocaína), e perdeu a fortuna com bebidas alcoólicas, hotéis e prostitutas de luxo.

Sofreu um acidente vascular cerebral em 2003, o que o levou a perder a visão do olho direito. Desde então, morava em uma residência adaptada para suas necessidades em São Paulo. O cantor ainda sofria de diabetes, hipertensão e estaria desenvolvendo mal de Alzheimer.

No dia de 24 de dezembro 2013, passou a viver em uma clínica de repouso na Granja Viana, em Cotia, próximo de São Paulo.   Poucos dias depois, em 04 de janeiro de 2014, ele deu entrada no Hospital Regional de Cotia, com infecção respiratória aguda, pneumonia e problemas na bexiga e veio a falecer nesse hospital no dia 05/01/2014 (Domingo), aos 66 anos, na capital paulista, devido a complicações de um quadro de pneumonia. Fonte: Wikipédia

Morre aos 66 anos o pequeno gigante da canção
O velório tem realização a partir das 16 horas no Cemitério Horto da Paz, onde o seu corpo será cremado, município de Itapecerica da Serra, também no interior paulista.

Ele foi casado duas vezes e teve três filhos com Marly, sua segunda esposa, mas, após o AVC sofrido há 10 anos, o cantor teve a memória sensivelmente prejudicada, além de perder a força vocal, o que o fez abandonar a carreira na música. Antes, nos anos 1990, ele se converteu à religião evangélica, passou a cantar no gênero gospel e lançou a biografia O Pequeno Gigante da Canção.

No livro, conta que começou a vida adulta bem distante dos palcos, trabalhando em uma linha de montagem de uma fábrica de chocolates. As primeiras performances como cantor foram em boates paulistas e cariocas.

Antes de chegar à maioridade, relatou, era escondido pelos donos das casas noturnas embaixo do balcão quando o Juizado de Menores passava para fazer a fiscalização.

Tempos depois, passou a ser figura recorrente no Programa do Chacrinha. Em sua biografia, Ned afirmou considerar o apresentador o “pai de sua carreira artística”. “Chacrinha me deu oportunidade e comida. Foi muito difícil ser cantor de brega e anão neste país”, disse, em entrevista à Rede Globo, em 2012.

Nelson Ned deixou 32 discos gravados, alguns deles, incluindo Tudo Passará (1969) e uma série de álbuns dedicados a temas religiosos, disponíveis em CD. Fonte: Site da Internet.

Comentário
Neste pequeno comentário devo ressaltar que Nelson Ned foi um bom filho, bom pai, e ajudou na formatura de suas irmãs e construiu uma casa para os seus pais. O que o destruiu foi o pecado das drogas, bebidas alcoólicas e muitas farras com mulheres prostitutas de luxo, isso acabou com o seu dinheiro e com sua saúde. As suas irmãs se chamavam Neuma, de 58 anos e Neyde de 53.    Que sua alma descanse em paz.



Por: Ernani Serra
Pensamento: Nada levamos. Nada guardamos. Somente teus bens espirituais permanecem.
Maria Tereza Costa Lira