Leitores Online

14 de out de 2014

Evo Morales Presidente da Bolívia


Juan Evo Morales Ayma de origem indígena boliviana se tornou Presidente da República da Bolívia e já foi eleito por dois mandatos e agora em 2014 foi reeleito no terceiro mandato presidencial de 2015 a 2020

Este presidente se tornou muito popular e até amado pelo seu povo, não por ser um admirador de Fidel Castro de Cuba e do finado Hugo Chaves da Venezuela, ambos da linha internacional comunista, mas, Morales caminhou numa linha social e capitalista nacionalista essa é a diferença que deixou o seu povo e até os capitalistas do seu lado, tanto é que, foi reeleito pela terceira vez com uma votação expressiva, mostrando o povo, o carinho que tem pelas suas ações no governo boliviano, se tivesse feito uma má administração o povo não o teria votado em massa e nem seria reeleito pelo terceiro mandato presidencial.

O Brasil, a Venezuela, a Argentina e muitos outros países sulamericanos deveriam se espelhar na administração de Evo Morales que está no caminho certo do progresso interno da Bolívia. É dessa maneira que a Bolívia vai longe, vai crescer e se tornar um país independente e próspero na América Latina, porque não trilhou a ideologia comunista nem a capitalista em que ambas são egocêntricas, uma para o Estado e a outra para os interesses privados, Morales preferiu o socialismo-nacionalista em que se une num só interesse: Povo e Estado, ambos se beneficiando um do outro como se fosse um só corpo político e social; esse é o caminho certo da verdadeira política; Morales está de parabéns e continue assim em seu governo do povo para o povo

O governo da Bolívia está certo quanto às reeleições, não se deve restringir o direito de votar dos eleitores impondo um só mandato presidencial, a lei tem que ser ampla no sentido de dar ao povo o direito de votar com o seu livre arbítrio independente de tempo, se o governo é bom, e o povo aprova então o político deve ser reeleito quanto necessário for através dos votos do povo, isso é democracia popular. 

Determinar um só mandato para presidente é frustrar os interesses do povo, o povo deve ser soberano nas urnas para reeleger o seu candidato quantas vezes for necessário para o bem estar da nação. O Brasil está no caminho errado quando estão querendo acabar com a reeleição, o povo é quem deve dizer nas urnas quem vai se eleger ou se reeleger e que, deveria ser respeitada a indeterminada soberania do povo. Se o voto é do povo, o povo é quem manda.

Se o povo gosta do governo de Morales então é de direito desse povo de reeleger quantas vezes for necessário para o bem estar social boliviano, o que importa não são os interesses de políticos que só querem o poder e a corrupção, entrando e saindo a cada término de mandato.

Se Morales fizer um mal governo o povo saberá na urna dar a resposta nas próximas eleições. Se fizer um bom governo o povo saberá recompensar com outra reeleição, isso é justo e democrático e deve ser assim infinitamente, dando ao povo o direito de votar certo.

Enquanto a política do Brasil está afundando, o da Bolívia está em pleno crescimento em prol da nação. Continue assim Morales, no Regime Nacional Socialista.





Por: Ernani Serra
Pensamento: Eu aprendi que as pessoas vão esquecer o que você disse, as pessoas vão esquecer o que você fez, mas as pessoas nunca esquecerão como você as fez sentir.
Maya Angelou