Leitores Online

15 de out de 2014

O Papa Francisco convoca o Concílio


O Papa Francisco se pronunciou no Sínodo dos Bispos sobre a família e admitiu que “as pessoas homossexuais têm dons e qualidades a oferecerem à comunidade cristã’”, o Papa admitiu também que “há casos em que o apoio mútuo” de algumas uniões homossexuais “constitui um valioso suporte para vida dos casais”.

O Papa e a Igreja estão agindo como os políticos que se amoldam as convenções da sociedade, se a sociedade está se ampliando com o homossexualismo e com os casamentos gays masculinos e femininos então; toda a Igreja tem que aceitar essas opções por conveniências sociais, e com receio de perder os fieis que a cada dia estão se tornando menores números nas igrejas. A Igreja deve sim, não menosprezar nem discriminar essas pessoas que se desvirtuaram da normalidade dos bons costumes, apesar de que, com tantas pessoas nesse caminho, já se tornou uma “normalidade.” Devemos respeitar as criaturas humanas e aceitar como elas são.

A Igreja deveria ficar neutra nesse assunto tão delicado e deixar como estão, pois, a opinião do Sínodo não vai adiantar em nada porque a sociedade vai continuar como está, numa depravação frenética e ascendente, isso é problema de família, de educação social e saúde pública.

A Igreja tomando posições só vai dar margens para muitas discussões e opiniões contrárias, Cristo não agradou a todos. 

A Igreja tem que ser misericordiosa e perdoar os pecadores sem nenhuma indignação, repreensão, discriminação, etc. entregar tudo a Deus. 

A Igreja está para aceitar os seus fieis como eles são e não querer dar suas próprias opiniões e nem querer mudar o curso natural da humanidade. A Igreja precisa ser sábia em suas decisões e opiniões, o inimigo está à espreita para atacar e julgar a Igreja.

Ninguém muda ninguém, cada um com o seu fardo aqui na Terra.

A Igreja não tem moral para julgar os pecados alheios, pois, o seu passado a condena. Quem tem telhado de vidro não joga pedra no telhado alheio e nem precisa concordar com a maioria para ser bonzinho e complacente, indo de encontro com a própria opinião que está no íntimo da alma e da consciência, a Igreja tem que ser neutra e não compartilhar com os pensamentos individuais de cada sacerdote a respeito de assuntos tão delicados e propensos a grandes debates que não chegam a lugar nenhum.

A sabedoria está no silêncio.




video



Por: Ernani Serra
Pensamento: O consumismo incentivou-nos ao hábito do desperdício. Mas a comida que se deita fora é como se fosse roubada aos pobres e aos famintos.
Papa Francisco