Leitores Online

5 de nov de 2014

Abuso de Poder


Nesse país existe de tudo, qualquer autoridade que esteja sem razão em qualquer situação, tem que dar a mão à palmatória diante da lei, essa é a atitude correta, honesta e decente de quaisquer autoridades mostrando ao seu subordinado em serviço que está fora da lei, principalmente quando o errado é um juiz que deveria baixar a cabeça e deixar que a servidora pública fizesse o seu trabalho no trânsito. 

A agente de trânsito Luciana Tamborini disse que o magistrado João Carlos de Souza Correia tentou receber um tratamento diferenciado na blitz da lei seca (já ocorreu em abuso de poder), quando foi parado e identificado que o seu carro estava sem placa, o juiz não tinha carteira de habilitação e nem os documentos do carro, estava totalmente irregular perante a lei e ainda se achou no direito abusivo de enquadrar a agente de trânsito como se ela tivesse cometido alguma irregularidade na abordagem, isso é o cúmulo da prepotência autoritária. Isso é revoltante.

Na decisão judicial, o relator do processo, desembargador José Carlos Paes, em vez de fazer justiça perante os fatos, considerou que a servidora pública agiu com abuso de poder ao afirmar que o magistrado “era juiz, mas não Deus”. (Com isso o desembargador acabou de dizer que o juiz era realmente um Deus, intocável em seu poder ilimitado e achou por bem transformar a agente numa ré). O que ela quis dizer com essa frase foi que, perante a lei, a sua identidade de juiz não estava isenta da punição, só se ele fosse Deus. Se por acaso ela disse isso foi porque o juiz deve ter mostrado a identidade de magistrado querendo intimidar a agente de trânsito, como sempre se faz nesse país, as pessoas estão erradas e se acham com o poder de ameaçar as autoridades inferiores. É com essas e outras atitudes que estão gerando a corrupção no trânsito. São muito comuns certos tipos de pessoas dizerem para os guardas de trânsito: Sabem com quem está falando?

Por causa desse abuso de poder e de autoritarismo foi sentenciada Luciana Tamborini a pagar ao Juiz a importância de R$ 5.000,00 por “danos morais”; só no Brasil é que acontece uma coisa dessas dentro do judiciário, e quanto às irregularidades de trânsito que o juiz cometeu, não vai pagar nada? Apesar de estar em delito com os direitos de trânsito o juiz deu voz de prisão a agente de trânsito que passou de agente da lei para ré. Isso é abuso de poder contra o mais fraco, se prevaleceu do poder e da amizade do desembargador para punir uma agente inocente que não cometeu nenhum abuso e nem delinquência. Os poderosos são sempre muito sensíveis quando atingidos no seu orgulho, amor próprio ferido, não admitem os seus próprios erros, se portam como intocáveis poderosos como um deus. 

A justiça para ser justa tinha que punir os dois se é que, a agente cometeu alguma irregularidade ou delito. Desde quando uma pessoa diz para outra que ela é um Deus para ser considerado ofensivo, achar uma pessoa parecida com os poderes de Deus é um elogio, mas infelizmente o que aconteceu foi que esse juiz ficou com o amor próprio abalado por ter sido pego em flagrante delito por uma pessoa de classe inferior que mostrou que a lei estava acima dele, com mais poderes, do que o juiz, perante a lei, mas que, esse juiz usou de sua autoridade e poder para inverter o poder da lei. Os fracos não têm poderes perante os poderosos.

Tem certas pessoas que foram mal criadas e não admitem que digam que estão erradas, porque em toda sua vida só ouviu a palavra “sim” quando dizem “não” é um deus nos acudam.

É muito bonito quando uma autoridade que se encontra cometendo algum delito se torne uma pessoa humilde e aceite a crítica ou a penalidade com dignidade respeitando a outra autoridade e reconhecendo que cometeu um erro. Se não querem ser advertidas procurem fazer as coisas certas.

O povo ficou tão indignado com a injustiça pela justiça que estão fazendo uma arrecadação pela internet que já passou dos R$ 10.000,00 para pagar os “danos morais” para esse juiz.

Quando uma pessoa tem caráter não se abala com a adversidade na vida e continua a trabalhar com afinco na sua profissão de maneira honesta e punindo os infratores da lei. Não vai ser por essa injustiça que a agente de trânsito vá se tornar uma má profissional e corrupta. Porque ela demonstra ter caráter profissional.






Por: Ernani Serra
Pensamento: Errar é humano. Culpar outra pessoa é política.
Hubert H. Humphrey