Leitores Online

12 de nov de 2014

Carta de Ernani á Presidente


Prezada Presidente Dilma Rousseff,
  
A exploração responsável de madeira na Amazônia pode ser um dos mais importantes instrumentos para a manutenção da floresta viva, além de gerar renda para suas populações e para o país. Porém, hoje, essa exploração é realizada de forma ilegal e predatória, contribuindo para a degradação florestal e o desmatamento, deixando um rastro de graves consequências sociais e para a biodiversidade. 

Entre agosto de 2011 e julho de 2012, estima-se que nos dois maiores Estados produtores de madeira da Amazônia, Pará e Mato Grosso, respectivamente 78% e 54% das atividades do setor ocorreram de forma ilegal.

Uma investigação de dois anos do Greenpeace revelou que o atual sistema de controle de comércio de produtos florestais não é apenas falho, mas ajuda a alimentar este triste quadro. Frequentemente, em vez de conter o crime, ele é usado para legalizar a madeira produzida de forma predatória e ilegal, que mais tarde será vendida aos consumidores no Brasil e ao redor do mundo.

Diante do atual quadro de descontrole que impera sobre a atividade madeireira na Amazônia são necessárias medidas urgentes e energéticas. 

Como cidadão preocupado com a Amazônia e os povos da floresta, eu peço que os senhores se comprometam com as mudanças que o Governo Brasileiro deve fazer para garantir a exploração responsável da floresta: 

Realizar uma revisão imediata de todos os planos de manejo florestal (PMFs), aprovado na Amazônia desde 2006.

Elaborar e implementar novas regras para garantir avaliação e aprovação eficaz dos planos de manejo florestal, além de torna-las públicas.

Implementação de um sistema de controle de madeira da Amazônia, que seja transparente, público e padronizada nacionalmente.

Priorizar a implementação de um plano ambicioso para o efetivo funcionamento do manejo florestal comunitário.

Aumentar a governança na região, aumentando a capacidade e infraestrutura de órgãos ambientais federais e estaduais, além de recursos para vigilância, monitoramento e aplicação da lei, incluindo penalidades rigorosas para os condenados por crimes florestais.

Rever todas as licenças de serraria e criar um novo sistema de regulação para a sua operação.

A Amazônia é um patrimônio de todos os brasileiros, além de ser a maior floresta tropical do planeta e abrigar biodiversidade e umas riquezas culturais inestimáveis. Protegê-la é cuidar do futuro de todo o Brasil.

Atenciosamente

Comentário
O Brasil não assina acordo mundial com a “Declaração de Nova York sobre Florestas” durante a Cúpula do Clima das Nações Unidas em Nova York, para reduzir desmatamento. O Brasil se recusou a assinar um documento propondo reduzir pela metade a derrubada das florestas do mundo até 2020 e zerar por completo o desmatamento até 2030. 

Com essa declaração foi estimulada a corrida pela devastação da floresta Amazônica, como a presidente disse, que em 2030, iria zerar por completo o desmatamento, é claro que em 2030 a floresta Amazônica já estará devastada pela ambição dos ruralistas, zeradinha da silva. Felizmente, em 2030 não estará como presidente do Brasil, só se fosse castigo dos Céus.








Por: Ernani Serra
Pensamento: A natureza fez o homem feliz e bom, mas a sociedade deprava-o e torna-o miserável.
Jean-Jacques Rousseau