Leitores Online

15 de nov de 2014

Júri do Ano - Três Canibais


Na Conexão Repórter desta quarta-feira, 12 de novembro de 2014, os bastidores de um dos julgamentos mais aguardados do ano. Roberto Cabrini fica frente a frente com Jorge Beltrão Negromonte da Silveira de 53 anos, Isabel Cristina Pires da Silveira de 54 anos, e Bruna Cristina da Silva de 28 anos, todos acusados de praticar canibalismo em Garanhuns e em Olinda. Cabrini realiza entrevistas exclusivas e reveladoras há um dia antes do acerto de contas com a Justiça. Júri será realizado nesta quinta-feira 13/11/2014.

Jorge Beltrão é um homem de boa cultura, que se intitulava diretor de cinema e produziu filmes macabros nos quais encenavam as matanças que pretendia realizar e, por fim realizou. Ele criou uma seita e, em nome de Deus, assassinou e depois praticou atos de canibalismo com os corpos de suas vítimas, tendo Isabel e Bruna como cúmplices. O triângulo amoroso e também criminoso revela detalhes dos crimes como réus confessos com poucas contradições e detalhes minuciosos da chacina que surpreende a todos, inclusive a própria juíza, pela frieza, cinismo, agindo como androides sem nenhuma sensibilidade, sem nenhum remorso como se fossem robôs programados para o crime real.

A Juíza prometeu ser severa na sentença contra os réus, se falava em 33 anos de detenção fechada.

Quando foram presos há dois anos estavam mais magros mais agora que passaram dois anos no presídio comendo a custa dos contribuintes ficaram bem mais gordinhos é uma prova que estão tratando muito bem essa qualidade de criminosos. 

Esses humanoides são insensíveis, não têm remorsos, são dissimulados, são perversos, e de um cinismo revoltante, personalidade fria, e manipuladores, são uns monstros. Atraíram as vítimas com propostas de emprego doméstico e uma a uma, foi sendo executadas a facadas na região jugular, numa morte lenta e cruel que sangra até a morte, depois os três desossavam o cadáver e depois é que faziam os esquartejamentos das vítimas, com a carne os canibais comiam no almoço como guisados e grelhados, e depois acharam de fazer empadinhas e coxinhas com as carnes dos cadáveres para venderem (“esses petiscos diabólicos”) na periferia da cidade onde moravam, e teve uma vez que os canibais grelharam a carne da vítima Jéssica e deram a criança com arroz no almoço; (filha essa que adotaram após ter matado sua mãe Jéssica). Essa mesma criança foi testemunha ocular das chacinas dos canibais que não tiveram nem a consciência de resguardar a criança daquelas cenas dantescas. Não temos como qualificar essas aberrações da natureza com algum nome ou comparação na Terra, comparar com monstros, canibais, humanoides... Talvez estejamos até ofendendo essas criaturas que não se comparam com tanta crueldade do trio canibalesco do Nordeste do Brasil.

Agora vem um advogado dizendo que o seu cliente é esquizofrênico e inimputável para que não seja julgado em júri popular e seja levado para o Manicômio Judiciário para ser “curado” e com o tempo ser libertado. Esse advogado disse que está trabalhando pela sua inocência, diminuição de pena ou remoção para um manicômio, e o Jorge Beltrão (canibal) está simulando esquizofrenia dizendo que não sabia de algumas cenas do crime, tudo encenação para se livrar de uma sentença pesada em regime fechado, apesar de que, no Brasil a pena vai diminuindo por vários artifícios jurídicos e em poucos anos podem ser soltos na sociedade para continuarem a matar mais gente inocente.

Vamos ver o resultado da sentença e esperar que seja cumprida no futuro de maneira integral e prisão fechada, sem nenhum benefício para encurtar a pena dada pela juíza. Nada de prisão semiaberto, nem saídas temporárias e muito menos indulto para esses monstros. 

Não se assustem se depois de alguns anos esses canibais estejam passeando pelas ruas e convivendo na sociedade porque esse é o destino da lei penal e da impunidade que zelam pelos presos e também dos Direitos Humanos que deixam os criminosos intocáveis.

Temos como exemplo o caso de: Suzane Richthofen que matou os pais e já esteve livre dentro da sociedade, agora está presa porque pediu para ser presa para conviver com sua amante dentro do presídio. 

Esses presos têm muitas regalias internas e benefícios da lei brasileira, muitos deles, vivem mais bem encarcerados do que em suas residências humildes.

Ontem, 14/11/2014, os jurados condenaram o trio canibal: Jorge Beltrão a 23 anos, e Isabel e Bruna a 20 anos pelo crime contra Jéssica Camila Pereira da Silva, adolescente de 17 anos a primeira vítima. Esses monstros mataram três mulheres e só foi condenado pela morte de uma delas e as outras duas como fica? Será que vai ter outro Júri? Esse trio é Serial Killer, que se não tivesse sido preso, muitas outras mulheres teriam sido vítimas do vício, do prazer de matar e do gosto macabro de se alimentar de cadáveres.

Em outros países esse trio teria sido levada a pena capital ou prisão perpétua, mas no Brasil com o passar do tempo o povo se esquece, é um povo com memória curta, conforme os links que postei abaixo esses réus vão ser beneficiados pelas leis brasileiras e em pouco tempo tudo está esquecido e esses maníacos vão andar pelas ruas como um cidadão de bem. Hoje, a Isabel chora a Bruna cinicamente sorri e o Jorge Beltrão fica frio e impassível no tribunal à espera da sentença. 

Esses canibais quando estavam vendo o terror estampado nas faces de suas vítimas não tiveram compaixão e sangraram friamente como se sangra uma galinha e ainda tiveram a coragem de  destrinchar os cadáveres e se alimentar deles, só faltou fazer sopa com os ossos das vítimas, eu acho que eles se esqueceram que poderiam usar a ossada como: costelinha na brasa, osso muco na sopa e outras iguarias em sua receita macabra. 

No Brasil quem morre é quem se ferra e a dor dos familiares das vítimas como fica?
     









Por: Ernani Serra
Pensamentos: Todos somos iguais perante a lei, mas não perante os encarregados de fazê-las cumprir.
S. Jerzy Lec