Leitores Online

21 de nov de 2014

Nem de Pão Vive o Homem e nem de Corrupção


O povo e os políticos ficaram escandalizados pela frase do advogado Mário Oliveira Filho que disse: “Não se faz obra no Brasil sem propina, não se coloca um só paralelepípedo no chão e nem há uma empreiteira por menor que seja que não pague propina para as prefeituras”.

Ele disse a verdade isso é corriqueiro em todas as repartições públicas e órgãos políticos. Isso já está no DNA dos servidores públicos. Vai ser difícil ou impossível mudar todo esse esquema corrupto e corruptor para um serviço honesto. A burocracia já é uma corrupção que obriga ao pagamento de propinas para agilização das obras ou serviços. Se tentarem usar da honestidade por força de lei, os funcionários públicos vão usar a burocracia para impedir o andamento do processo.

Em Natal-RN chegou do norte do país um navio draga para aprofundar o Rio Potengi na parte do porto, houve tanta burocracia de uma repartição para outra, para quem ficaria com o serviço de dragagem, terminou o capitão recebendo ordens de quebrar a pá da draga para não dragar o rio, o navio partiu e não foi feito na época a dragagem.

Vou dar alguns exemplos do DNER há cinquenta anos passados: 

Um chefe geral dessa repartição prendeu um processo para pagamento em dinheiro, só que o chefão mostrou uma chave de carro para liberar o processo e exigiu naquela época um carro esporte karmanguia que foi dado em troca da liberação do dinheiro.

Um chefe da secção de orçamento extorquia dos comerciantes propinas e conseguiu construir uma casa e todos os funcionários sabiam. 

Foram tantas outras corrupções que até mandaram do Rio de Janeiro um Engenheiro Chefe Geral para tentar acabar com a corrupção administrativa, ele sofreu tanta pressão que só se rendeu quando deram uma Comissão na estrada federal em Minas Gerais para chefiar.

Houve muitos processos de corrupções que foram abafados e não deu em nada.

O inspetor da Polícia Rodoviária Federal foi na época denunciado pelos seus soldados no crime de contrabando, passou seis meses sem farda aguardando o processo de demissão, mas ele foi a Brasília e falou com um ministro que foi até diretor da hidrelétrica de Itaipu, e conseguiu voltar à ativa e recebeu todo o atrasado dos seus salários retidos e continuou na malandragem, o processo foi arquivado.     Uma vez ele guardou uma mala com contrabando na Delegacia de Polícia e o delegado foi quem entregou a mala e foi levado o contrabando para Maceió-AL no carro oficial da polícia rodoviária federal.

Os contratos com empreiteiras faziam que tivesse feito uma concorrência pública, mas na verdade já existiam menos de meia dúzia de empresas que eram contratadas para os serviços e construções, eram empresas privilegiadas, cartas marcadas.

Isso acontece em todas as repartições públicas só que fazem por baixo do pano. 

A Polícia Federal está desarticulando esses esquemas de propinas em todos os Estados do Brasil e muita gente acha que isso é coisa nova, esse comportamento desonesto vem desde que o homem criou a administração pública. A presidenta está correndo o risco de uma intervenção (impeachment) por se tratar de escândalos na esfera federal em que a chefe da nação tem responsabilidade sobre as ações dos seus subordinados e ministérios, e que, não pode simplesmente dizer: Eu não sabia de nada. Para que tem tantos ministérios? Para estar por dentro de tudo.   Como chefe da nação tem obrigação de saber de tudo o que está acontecendo em sua esfera administrativa e governamental.







Por: Ernani Serra
Pensamento: A ambição comete, em relação ao poder, o mesmo erro que a ganância em relação à riqueza: começa a acumulá-la como meio de felicidade, e acaba a acumulá-la como objetivo.
Charles Colton