Leitores Online

17 de nov de 2014

Uma Barbárie Surreal


O homem virou o mais vil e desprezível de todos os seres vivos pelos seus crimes de guerras contra a humanidade, contra os reféns e adversários, contra os animais, contra a própria Terra que está em perigo de vida.

O homem perdeu o amor ao próximo e a própria natureza, virou uma máquina de destruição sem alma, sem consciência e sem moral. Perdeu a noção do que é certo e do que é errado, do que é moral e imoral, do que é justo e injusto. O homem se esqueceu de que matar o seu refém é matar a si mesmo, e a própria família do refém, o ser humano está ligado por um elo universal de amor, compaixão, vida e muitos outros sentimentos espirituais, sociais e éticos. 

Sem esses sentimentos o homem deixa de ser um animal racional e nem chega aos pés dos animais irracionais, são matérias inertes que se locomovem através de chutes de outros elementos antissociais que os impregnam de fanatismo religioso e político que levam as guerras que não têm nenhum sentido lógico, a única lógica é a morte.

Essas coisas que se locomovem na face da terra matando de maneira cruel e desumanas, pessoas inocentes, essas são desprovidas de qualquer significado. O pior é que cometem não só os crimes como as blasfêmias em nomes de pessoas espiritualizadas que foram profetas e até filhos de Deus, e que, nunca profanaram os seus ideais religiosos, com palavras ou ações de violências, foram esses bárbaros que colocaram palavras violentas nos Livros Sagrados ou nas bocas dos seus fiéis para cometerem crimes em nome da honra e da legalidade.

Essas coisas usam o nome e as religiões para fanatizar um povo e conseguir apoio em seus propósitos políticos e criminosos de guerra. Tudo isso para conseguir um dia, poder e riqueza. O maior poder está numa alma cristalina e a maior riqueza está dentro de cada alma que vê um paraíso e desfruta do êxtase que sente no amor a tudo e a todos.

As guerras são satânicas cheias de armadilhas diabólicas com um único objetivo, levar as almas para o inferno pós-morte. 

Se a humanidade continuar nesse caminho de destruição e ódio ao próximo, a própria natureza vai exterminar com todos os seres humanos, para o bem da vida animal irracional e do planeta em geral.  

Como um ser humano me envergonha de ter nascido no meio de uma hoste de bárbaros que só pensam em destruição.

Os que vemos nessas barbaridades antissociais nos deixam estarrecidos com a insensibilidade e desumanidade de seres com imagens de homens, é o mesmo que: “Lobos em peles de ovelhas”. Ninguém liberta ninguém, o homem será sempre o eterno insatisfeito na face da Terra. O que liberta o homem é a elevação espiritual. Se riquezas fizessem felicidades na Terra não haveria tantas infelicidades nas famílias abastadas, porque elas têm o material, mas lhes falta a riqueza espiritual. Não haverá nunca um regime político que possa trazer a felicidade e a paz interior a cada cidadão para uma harmonia das massas populares.

O que o homem faz nada é perfeito está sempre em desequilíbrio e o povo nunca estará satisfeito com nenhum regime político. 

As vezes sinto que é melhor que esta humanidade tão cruel desaparecesse para que o planeta tivesse mais harmonia e paz.








Por: Ernani Serra
Pensamento: Quando o homem chega ao ponto mais baixo da: moral, dignidade, perdão... Só resta pedir a Deus misericórdia por esta humanidade em decadência espiritual…
Ernani Serra