Leitores Online

6 de jan de 2015

Commodities


O Brasil entrou em déficits que comprometeu o superávit primário da União porque houve em 2014 foram mais importações do que exportações e o governo gastou mais do que arrecadou criando um desequilíbrio fiscal, tudo porque o governo federal descartou todas as reservas em dólares para a Bolsa de Valores com a intenção de aumentar o dólar e desvalorizar o real causando um desequilíbrio nos commodities favorecendo as importações estrangeiras e depreciando as exportações nacionais, ou seja, estamos exportando mais em toneladas e recebendo menos dólares, essa situação só é boa para os estrangeiros. 

Só tem um meio de equilibrar essa balança comercial com a independência do mercado de exportação e de importação no câmbio, fazendo com que cada uma se torne independente da outra com taxas próprias. 

Os exportadores de commodities deveriam entrar em greve retendo as exportações e forçando o governo a baixar o dólar no câmbio e valorizar o real (moeda nacional). Não é vantagem para os exportadores fazer negócios com o exterior com um dólar tão alto e muito menos para o governo. 

Se o Brasil quisesse ser uma nação poderosa o primeiro passo seria no investimento de ouro para construir um lastro-ouro que garantisse a valorização do real no mercado mundial e iria competir com as grandes moedas internacionais de grandes valores monetários. 

Só para as mentalidades dos economistas brasileiros é que o real deve se desvalorizar para garantir as exportações de commodities em grandes quantidades a preços mínimos, dando prejuízo aos produtores e ao governo. 

Desvalorizar o real no câmbio é traição e lesa-pátria porque estão entregando as nossas riquezas aos estrangeiros em grande quantidade a preços irrisórios. Os produtores em vez de ganharem estão perdendo dinheiro e o governo está perdendo reservas significantes em dólares. 

Pelo visto, no Brasil o governo faz questão de promover a filantropia para os países estrangeiros e sacrificar o povo com sua máquina compressora de impostos fiscais. O Brasil voltou ao tempo do Império Português, quando os brasileiros sofreram o arrocho do fisco deixando mais pobres e escravizados.






Por: Ernani Serra
Pensamento: O mundo tornou-se perigoso, porque os homens aprenderam a dominar a natureza antes de se dominarem a si mesma.
Albert Schweitzer