Leitores Online

4 de mar de 2015

MP:669 Por Projeto de Lei


A presidenta Dilma Rousseff assinou agora á noite um Projeto de Lei com urgência constitucional que retoma os termos da MP 669/15, que alterava as alíquotas de desonerações das folhas de pagamento. O Projeto de Lei prevê a mudança nas alíquotas das desonerações 90 dias a partir da publicação, a chamada noventena. Isso significa que a substituição da MP 669/15 pelo Projeto de Lei não trará prejuízo para o ajuste fiscal pretendido pelo governo federal.

A MP 669/15 de sexta-feira (27/02/2015) determinava que quem pagava alíquota de 1% de contribuição previdenciária sobre a receita bruta passaria a pagar 2,5%. A alíquota de 2% aumentaria para 4,5%. De acordo com nota divulgada pela Presidência da República, o projeto assinado nesta terça-feira (03/03/2015) por Dilma Rousseff tem o mesmo teor da MP 669/15 e “prevê a mudança nas alíquotas das desonerações dentro de 90 dias, a chamada noventena”.  Segundo a Presidenta, a substituição da MP 669/15 pelo Projeto de Lei não trará prejuízo ao ajuste fiscal pretendido pelo governo federal. Fonte: G1 Política.

Comentário
Renan Calheiros presidente do Senado Federal foi homenageado por todas as bancadas de todos os partidos políticos no Congresso Nacional, ovacionado como se fosse um herói, os parlamentares foram a tribuna só para elogiar a ação patriótica do senador que devolveu a MP 669/15 com muita indignação alegando que as empresas não poderiam ser sacrificadas com mais impostos e que, aquela MP 669/15 era uma afronta ao povo, blá, blá blá, e mandou que fosse devolvida para a presidenta Dilma Rousseff. Os congressistas encheram a bola do ego de Renan Calheiros que a cada discurso inflamado deixavam de olhos e semblante que irradiava uma energia de orgulho vaidoso, ficou tão fofo que parecia que ia voar. Se o presidente do Senado Federal achava aquela MP uma aberração que estaria levando a desgraça ao poder econômico; por que não se juntou naquele momento para usar de seus poderes para impedir a continuação do segundo mandato da presidenta? Essa política de austeridade vai levar o país à desgraça total, não vai ficar pedra sobre pedra, como disse a Dilma Rousseff.

Discurso de Renan Calheiros:
Depois de acusar a presidenta Dilma Rousseff de emitir medidas provisórias que achou inconstitucional, que o governo estaria gerando insegurança em quem investe no país, em aumentar impostos por medidas provisórias poucos meses após ter concedido uma vantagem fiscal que se dizia definitiva sem a mínima discursão com o Congresso, é um péssimo sinal para quem deseja vender a imagem da normalidade institucional e econômica do Brasil. 

Esse governo é do pensamento popular: Faça o que eu digo e não faça o que eu faço. Tem duas palavras: ora diz alguma coisa e ora diz outra de acordo com as conveniências políticas faz parte do contexto político. Política se faz com duas caras.

Tudo não passou de uma encenação teatral no Congresso Nacional que só deu em pizza, tanto bate-boca e elogios na tribuna para nada, trocaram seis por meia dúzia, ou seja, MP 669/15 por um Projeto de Lei, mudaram só o título da vergonhosa proposta fiscal. 

São todos farinha do mesmo saco; já dizia Augusto dos Anjos: a mão que afaga é a mesma que apedreja, os políticos são assim: fazem que estão com o povo e joga no mesmo time dos capitalistas.   Estão tripudiando em cima do povo. Daqui a alguns dias Renan Calheiros e Dilma Rousseff estarão se abraçando como bons amigos.

Quem se explode e implode mesmo é o povo. O povo está no mato sem cachorro num labirinto da inflação com recessão e não sabe como sair dessa armadilha política.





Por: Ernani Serra
Pensamento: Quem acredita em promessas de políticos são tão ingênuos quanto às crianças inocentes que acreditam em: Papai Noel, Mula sem Cabeça, Saci etc.
Ernani Serra