Leitores Online

17 de jul de 2015

Grécia de Joelhos


No início de 2010, foi revelado que os sucessivos governos gregos tinham sido responsáveis por ter consistente e deliberadamente deturpados as estatísticas econômicas oficiais do país para mantê-lo dentro das diretrizes da União Monetária. Isto tinha permitido que os governos do país gastassem além de suas possibilidades, ao esconder o déficit real de supervisores da União Europeia (UE). Em maio de 2010, o déficit orçamentário grego foi novamente revisto para uma previsão de 13,6%, um dos mais altos do mundo em relação ao PIB e a previsão da dívida pública foi, de acordo com algumas estimativas, para 120% do PIB em 2010, uma das mais altas taxas do mundo.

Como consequência, houve uma crise de confiança internacional na capacidade da Grécia de pagar sua dívida soberana. Com o objetivo de evitar tal padrão, em maio de 2010, outros países membros da Zona do Euro e do Fundo Monetário Internacional (FMI), concordaram com um pacote financeiro de resgate que envolveu a Grécia, dando um empréstimo de 45 bilhões de euros, com mais fundos em seguir, num total de 110 bilhões de euros. A fim de garantir o financiamento, a Grécia foi convocada a tomar as medidas de austeridade para controlar seu déficit. A sua execução será acompanhada e avaliada pela Comissão Europeia, o Banco Central Europeu e o FMI. Fonte: Wikipédia.

Comentário
O primeiro ministro da Grécia Alexis Tsipras convocou um referendo para o povo decidir se aceita acordo proposto pela União Europeia (UE). O povo grego foi às urnas e votou pelo não como queria Tsipras, mas infelizmente esse primeiro ministro traiu o povo grego aceitando o pacote de austeridade oferecido pelos credores. Agora quem vai sofrer as consequências de uma má administração política é o povo grego. 

O Tsipras enganou o povo grego passando para os carrascos das finanças mundiais que de agora em diante vai governar a Grécia e fazer do primeiro ministro de fantoche. O povo grego vai passar fome e necessidades por conta desses pacotes da União Europeia. O povo grego recebeu do ministro um presente de grego, um cavalo de Troia recheado: de falsas promessas, de recessão, inflação, impostos altos, demissões em massa, grilhões dos pacotes de austeridade, do cadafalso de um financiamento bancário internacional impagável, e assim caminha o povo grego para um matadouro

O povo grego tem que fazer protestos todos os dias nas ruas até que seja anulado esse contrato desumano dos credores, ou dar um calote nesses agiotas internacionais, é melhor voltar à moeda Dracma e procurar outros países que possam oferecer empréstimos mais em conta sem nenhuma exigência contra o povo grego que nada tiveram com as corrupções dos políticos da Grécia. Os responsáveis por essa crise absurda não foram presos nem punidos, talvez ainda estejam no poder político quando deveriam ter sido todos condenados e confiscado todos os seus bens móveis e imóveis deixando todos sem nenhuma moeda do Euro, mas em vez de condenar a causa estão condenando os efeitos que é o povo inocente, enquanto não houver justiça contra esses corruptos a corrupção continuará impune no mundo político e no mundo inteiro.








Por: Ernani Serra
Pensamento: Quem dá o que tem a pedir vem.
Provérbio