Leitores Online

25 de jul de 2015

Tabu Anatômico & MGF


Cerca de uma em cada duas mil crianças que nascem o que é bastante coisa são consideradas genitalmente anormais. Não dá para saber imediatamente se é menino ou menina. Há vários tipos de anormalidades. O pênis e o clitóris provêm do mesmo tubérculo genital durante o desenvolvimento do feto. No começo, os tecidos são exatamente iguais.   O que se torna o pênis no menino se torna o clitóris na menina. Estruturalmente, eles são similares. Enquanto o feto se desenvolve, ele pode se tornar tanto menino quanto menina. As estruturas dos dois sexos começam a se desenvolver, e então, num certo ponto do desenvolvimento, os hormônios e diferentes fatores fazem o outro sexo desaparecer, e você fica com genitais masculinos ou femininos.  

As meninas têm desejos sexuais muito fortes, que brotam de todos os lados e elas querem fazer coisas que acham que não devem por várias razões. Mas elas têm esse desejo forte, e não é que elas estejam sendo pressionadas pelo namorado. Elas não têm noção disso, então dizem: “Deve haver algo errado comigo, sei lá, acho que sou uma vadia”. E há essa pressão para as garotas não se tornarem “vadias”. Esse parece ser um tipo de problema muito persistente. Então, como fazer uma garota superar isso? Como fazê-la conhecer a sua sexualidade sem ser promíscua e fazer coisas que possam ser perigosas? Há quem ainda acredita que, se os jovens aprenderem sobre sexo, vai sair correndo para transar. Todas as pesquisas mostram o contrário. Quanto mais os jovens sabem sobre o sexo e seu corpo, mais são estimulados a expressar seus desejos e a dizer “não” para uma relação que eles não querem.   Mais à vontade ficam para controlar suas vidas e dizer “não” para o sexo até estarem prontos. O sexo está em toda parte. Em vez de negá-lo, aborda com os adolescentes o prazer sem tabu. Um dos maiores desafios da educação sexual hoje é como abordar temas que são tabus, que, historicamente, são vistos como coisas de que não falamos. Eu diria que alguns temas são coisas como: masturbação, aborto, homossexualidade... Mas também coisas envolvendo o prazer, o clitóris e o nosso corpo.
 
A maior parte da educação sexual ainda se concentra na reprodução, sexo como se fosse só para engravidar e ter bebês. Há uns três anos, uma pesquisa interessante mostrou que, dos quinze principais livros de educação sexual ingleses, dez não mencionam o clitóris e dez, que eu creio serem os mesmos, não mencionam o orgasmo feminino. Geralmente, presumimos que as garotas têm poder. Esse poder feminino é totalmente frágil. Sob ele, ainda há o mesmo nível de fraqueza, o mesmo nível de falta de controle sobre suas decisões e necessidades. Devemos recuperar o feminismo na vida das meninas e a noção de que elas têm o direito de escolher, de não terem que ser como esperam que elas sejam e de colocar o próprio prazer no centro de suas vidas, como põem a responsabilidade para com os outros. Não que não tenham que ter esse tipo de responsabilidade, mas precisam resgatar mais seu direito ao prazer. Fonte: Vida e Estilo (YAHOO!). 

Comentário
A homossexualidade pode estar contida no desenvolvimento do pênis e clitóris no mesmo tubérculo que a natureza depois vai determinar o sexo do feto. O clitóris é uma atrofia do pênis e o pênis é uma extensão do clitóris, isso é fantástico dentro da natureza animal. Tudo indica que certos casos de homossexualidade infantil estão contidos no excesso de hormônios femininos que recebeu naquela mutação fetal, caberia aos médicos estudarem e aplicarem medicamentos hormonais masculinos nessas crianças afeminadas, apesar de que, essas tendências homo afetivas tem inúmeras causas no comportamento infantil, principalmente na ingenuidade que são levados a prática através de assédio sexual que por sua vez vai promover o vício da homossexualidade e muitas outras causas que deveriam ser estudadas pelos médicos e postas em prática.    

A Mutilação Genital Feminina (MGF) ou excisão é uma barbárie com razões culturais ou religiosas praticadas por alguns países da África e Oriente Médio com o propósito de acabar com o desejo e o orgasmo feminino deixando essas mulheres mutiladas, frígidas e mutiladas interiormente (psicossomáticos), enquanto isso, essas cirurgias são praticadas por pessoas leigas, com objetos cortantes sem esterilização e em local sem higiene, muitas dessas mulheres vítimas desse crime brutal acabam morrendo com hemorragias e infecções e são tratadas pelos familiares com desprezo. Quem pratica com os suas filhas essa mutilação são pessoas sem alma, sem amor e sem nenhum sentimento humano.    Esta semana ouvi e vi uma reportagem dizendo que famílias da Inglaterra estavam levando suas filhas para outros países que adotam esse procedimento bárbaro, isso é inadmissíveis que pessoas civilizadas tenham pensamentos tão retrógrados e criminosos contra sua própria família. Isso só pode ter partido de uma lavagem cerebral religiosa deixando essas pessoas fanáticas.      







Por: Ernani Serra
Pensamento: Não estão mutilando as jovens estão torturando e matando essas criaturas.
Ernani Serra