Leitores Online

15 de out de 2015

Congresso Nacional


Quando construíram as duas casas do legislativo político (para deputados e senadores, denominaram de Congresso Nacional) para que os parlamentares fossem a tribuna e fizessem a sua oratória em defesa do povo e do país, criaram uma câmara federal bem moderna para as duas casas se reunirem de maneira independente em assembleias para apresentarem suas opiniões, elaborar leis, discutir assuntos de interesses políticos etc. 

Esse Congresso Nacional foi construído de maneira moderna, sofisticada e com muito conforto e com uma arquitetura de linhas arrojadas (aerodinâmicas). 

Na câmara construíram um painel de votação eletrônica onde os parlamentares possam votar em suas bancadas, e por trás, uma belíssima e confortável poltrona, que infelizmente, não servem para nada e não deveria ter esses móveis, pois, os parlamentares dessas duas casas do povo não se sentam e ficam todos em pé como se sofressem de hemorroidas e quando se sentam é para dar uma cochilada e dormir em plena sessão.   Quanto à tribuna, é um desrespeito só, os parlamentares ficam em pé e conversam uns com os outros (correligionários) sem dar atenção necessária ao político que está em oratória na tribuna, é uma falta de educação total de políticos tupiniquins que se portam de maneiras inadequadas a sua legislatura e postura no plenário. 

Quiseram imitar a Câmara dos Lordes e dos Comuns da Inglaterra em que todos os políticos permanecem educadamente sentados em seus assentos e também, Assembleia da ONU e muitas outras câmaras de países civilizados que se comportam de maneira civilizada discutindo as pautas do dia com muita classe e educação parlamentar. 

Hoje, (14/10/2015) o ministro da Fazenda Joaquim Levy esteve na Câmara dos Deputados para apresentar sua proposta e convencer os parlamentares em votarem nas Leis Fiscais e na CPMF, que foram contras na maioria e rejeitaram as suas ideias e apresentaram muitas propostas e críticas ao governo federal, mas infelizmente, o ministro não estava interessado nessas propostas e sim, na arrecadação dessas leis para fechar o rombo da Lei de Diretrizes Orçamentárias de 2014 a 2016.

Enquanto os parlamentares falavam na tribuna o ministro era abordado por outro deputado e começavam a conversar, chegando alguns oradores pararem e reclamarem da falta de atenção do ministro. Isso é um desrespeito aos parlamentares que estão na tribuna e pregando no deserto.




Por: Ernani Serra 
Pensamento: No Brasil de hoje, os cidadãos têm medo do futuro. Os políticos têm medo do passado. 
Chico Anysio