Leitores Online

26 de out de 2015

Conversão de Moeda e Salários


O povo brasileiro e até os políticos têm a mania de comparar a moeda estrangeira com a nossa, principalmente quando se referem aos salários dos trabalhadores. 

Pensam que os trabalhadores estrangeiros estão nadando em dinheiro quando recebem os seus salários em dólares ou em euros, e alguns até dizem, que os trabalhadores (por exemplo) norte-americanos ganham muito bem e fazem a comparação com a moeda (real) que está desvalorizada (no fundo do poço) e acham que o governo deveria pagar o salário mínimo pelo valor da conversão da moeda internacional. 

É puro engano pensar que os trabalhadores norte-americanos e europeus estão ganhando muito bem, é claro que estão ganhando muito melhor que os brasileiros, só que, no seu país de origem, os estrangeiros não vivem tão bem assim, mesmo com a moeda estável de aceitação internacional e muito valorizada, em seus países existem muitos desempregados, mendigos, miseráveis e uma classe média sofrida aparentando status mais com dívidas até o pescoço.

Devemos ver não o valor do dólar com relação ao real e sim, o valor do dólar com relação ao custo de vida interno desses países do primeiro mundo e a qualidade de vida das pessoas com o uso dessas moedas. 

Nenhuma indústria ou comércio em lugar algum pagam bem aos seus empregados e operários, é a lei do cão, da exploração do homem pelo homem. 

O ideal quando a moeda estrangeira está em alta e o real no fundo do poço (desvalorizada), o trabalhador ir trabalhar nesses países e enviar os dólares ou euros para seus familiares para aplicarem em imóveis, móveis, ou em outra atividade lucrativa no Brasil, aí sim, vale a pena.

Quanto ao nosso salário mínimo não se deve fazer nenhuma comparação com outras moedas estrangeiras e sim, fazer a comparação com o custo de vida e obrigar os governantes a cumprirem a Constituição Federal que está escrito No Capítulo II – Dos Direitos Sociais:

IV – Salário mínimo fixado em lei, nacionalmente unificado, capaz de atender as suas necessidades vitais básicas e às de sua família com moradia, alimentação, educação, saúde, lazer, vestuário, higiene, transporte e previdência social, com reajustes periódicos que lhe preservem o poder aquisitivo, sendo vedada sua vinculação para qualquer fim.

Por enquanto esse salário mínimo do Brasil é uma piada que só dá para chorar ou rir de tanta hipocrisia, não dá nem para o básico, não dá para nada, só dá para o trabalhador sofrer e morrer a míngua.

Desde que foi elaborada essa Constituição Federal nenhum presidente cumpriu com esse capítulo e artigo constitucional.

Isso também deveria ser considerado como crime e negligência, o descumprimento da Lei Máxima da nação. 

Infelizmente, esses governantes não trabalham pelo povo e sim, pelos seus interesses políticos e pelos poderosos que não querem pagar bem aos seus trabalhadores (escravos do mínimo), não querem diminuir os seus lucros com o trabalhador, tanto é que, quem paga os aumentos dos salários mínimos é o povo, esse aumento está embutido no custo de vida, o empresário tem um lucro bruto, real, absoluto e intocável. Acham os políticos e empresários que estão pagando muito bem aos trabalhadores brasileiros. 

Esses governantes e empregadores vivem a enganar e escravizar o trabalho do povo brasileiro, que, como cordeiros ficam calados, mudos e surdos deixando ser explorados e espoliados por patrões e governo. 

Trabalhadores do Brasil reajam e procure os seus direitos que estão na Constituição Federativa do Brasil. Lutem pelos seus direitos. Enquanto o governo e os patrões economizam com o trabalhador, os políticos metem a mão nos cofres da União e os patrões ficam cada dia, mais ricos. 

Vão as ruas e peçam salários dignos conforme a Constituição Federal do Brasil de acordo com o custo de vida e reivindiquem os seus direitos de cidadania.







Por: Ernani Serra
Pensamento: Quem não luta pelos seus direitos tem quem explore esses direitos.
Ernani Serra