Leitores Online

9 de dez de 2015

O Estado quer fazer um Pacto com o diabo


A Câmara dos Deputados (Congresso Nacional) estão tramando uma lei para renascer das cinzas mais uma ilegalidade: os cassinos e jogos de azar.
 
Já não bastam tantos jogos de azar que o governo controla e outros que a máfia civil vem controlando e explorando dentro da sociedade de modo clandestino. Se as leis de hoje não são cumpridas quanto mais as que vão servir para os cassinos e jogos de azar no futuro.
 
Os jogos lotéricos já fazem um estrago muito grande no poder aquisitivo da população pobre e carente que vive a sonhar em ficar milionário, é com essa fantasia que o Estado embolsa bilhões de reais da classe pobre.
 
Os jogos eletrônicos e cassinos clandestinos estão funcionando abertamente, só quem não vê é o Estado, porque quem deveria reprimir essas transgressões que tanto mal trazem a sociedade mundial é o governo que faz vista grossa em troca de propinas.
 
Esse governo atual que afundou o Brasil numa areia movediça (financeira, econômica e social) está a todo custo procurando vender a própria alma ao demônio contanto que mande dinheiro suficiente para sair do atoleiro. Não está vendo se essas liberações aos jogos de azar fazem mal a sociedade, que essa sociedade se exploda, estão querendo é se safar de seus próprios problemas criminosos.
 
É sabido que quem controla essas jogatinas privadas são os representantes da máfia que não se importa com nada só com o capital financeiro dessas empresas criminosas e que vão se tornarem legais e bilionários.
 
Esses jogos (cassinos etc.) fazem: lavagens do dinheiro sujo do narcotráfico; promovem a prostituição; os vícios: do tabaco, álcool, drogas, e do próprio jogo.
 
Essas casas de jogatinas são o antro do demônio onde os banqueiros só ganham e os jogadores só perdem. Muitos jogadores já perderam a própria vida ao ficar na bancarrota, deixando nas mesas dos jogos a sua própria alma.
É um comércio que maquia os crimes e enganam os jogadores nesse ambiente de muitas trapaças: jogos eletrônicos programados para ganhar do apostador; cartas marcadas, dados e roletas viciadas ou truques no dar das cartas pelos crupiês; é um local de bandidos mafiosos e os jogadores são os otários que caem como moscas no mel. Nesse antro o dinheiro só corre para os cofres da máfia.
 
Falam em custo benefício: no mercado de emprego; retorno aos cofres da União; comércio com os bares e indústria de bebidas alcoólicas gerando tributos ao Estado. Tudo isso não compensa as perdas das famílias com os seus entes queridos viciados: nas drogas lícitas e ilícitas; perdas morais e materiais (falência total) e suicídios decorrente desses antros criminosos; etc.
 
Tem um pensamento que diz a verdade: Não é a política que faz o candidato virar ladrão. É o seu voto que faz o ladrão virar político.







Por: Ernani Serra
Pensamento: Quem bandido foi, é, e sempre será.
Ernani Serra