Leitores Online

14 de mai de 2016

Trocaram Seis por Meia Dúzia


De acordo com as declarações dos dois ministros do governo de Michel Temer a crise do Brasil está de pior a pior. O Brasil já esteve com outras crises, mas tinha a Petrobras para garantir a saída da crise, infelizmente, a Dilma entregou a Petrobras a Shell e outras empresas asiáticas, através de leilões e privatizações, e hoje, querem tirar o Brasil do buraco sacrificando o povo. 

Se a crise foi em grande parte pela má gestão da Presidenta Dilma Rousseff que gastou mais do que arrecadou, e para isso, tomou empréstimos a rede bancária nacional e internacional muito acima de trilhões de reais e que, hoje o Brasil tem que pagar só de juros bilhões de reais; infelizmente, o país ficou inadimplente por falta de fundos. 

A Dilma Rousseff quis implantar um plano de austeridade que felizmente a Câmara dos Deputados no Congresso Nacional não aceitou a volta da CPMF e do Plano Fiscal com aumentos de impostos aos contribuintes.   Vamos ver se agora esses “representantes do povo” vão aceitar a CPMF e o plano de aumento de impostos.

Agora vem os ministros de Michel Temer a propor e impor esse Plano de austeridade e a volta da CPMF e mais impostos sobre impostos contra o povo.

O problema não foi do povo e sim do governo, portanto esse governo teria que resolver no seu próprio governo cortando os salários e vantagens de todos os políticos pela metade, enxugando a máquina do governo, diminuindo o máximo os ministérios e todas as mordomias dos marajás políticos. Estão querendo crucificar o povo como o Cristo. Até agora ninguém se pronunciou para enxugar a máquina governamental, essa máquina continua pesada nas costas do povo.

Em seu pronunciamento o ministro chegou a dizer que a situação estava tão crítica que poderia chegar ao ponto de não ter verbas para pagar ao funcionalismo público. 

Estamos no mato sem cachorro, estão propondo um sistema arcaico de economia que nunca funcionou e ambos os governos de Dilma e de Temer querem impor ao povo esse rolo compressor. Estão intimidando o povo e os políticos para conseguirem o plano de austeridade que vai levar o povo a miséria social, econômica e financeira.

Se querem tirar realmente o país do buraco a primeira coisa a fazer é passar um calote na rede bancária, dizendo: “Devo não nego mas só pago quando puder” e aplicar o dinheiro dos juros bancários no desenvolvimento do Brasil. Aumentar os salários dos funcionários públicos e dos trabalhadores para que a máquina da economia possa engrenar com a oferta e a procura. A indústria e o comércio só se desenvolvem se houver um povo bem remunerado, a máxima de tudo é o salário. 

O Temer pode estar até bem intencionado em resolver o problema nacional, mas com essa proposta de austeridade não vai chegar a lugar algum, só vai aumentar a miséria social e enriquecer ainda mais os banqueiros. As grandes economias mundiais estão torcendo para que haja uma operação de austeridade na economia brasileira, porque esse plano contábil só favorece também as grandes potências.

A indústria, o comércio e a agropecuária só vão se desenvolverem se o governo diminuir a carga tributária. Para diminuir a inflação o governo colocaria no mercado uma parte dos produtos de exportação para baixar os preços dos gêneros de primeira necessidade.

Enfim, não é tirando do povo e nem do mercado que vai sair do buraco negro, é somando tudo e dando oportunidades para o mercado sair da crise.





Por: Ernani Serra
Pensamento: Não existe crise, existe má gestão governamental, corrupção e burocracia.
Ernani Serra