Leitores Online

30 de abr de 2017

Religiões, Céu e Inferno


Todas as religiões foram criadas pelo homem que sendo uma pessoa muito inteligente viu na humanidade a carência de alguma filosofia religiosa para manipular as massas ansiosas, pobres, medíocres, famintas etc., por divindades e também, querendo ser a própria divindade, como tal, dirigiu as massas populares para uma religiosidade política que até hoje existem, estão fazendo lavagem cerebral nos seus fiéis para deixar essas pessoas totalmente fanáticas pela religião. Os fanáticos são pessoas cegas que não vêm as intenções políticas dos seus algozes mentores intelectuais que em nome de um Deus ou de uma Entidade Espiritual levam todos os fiéis ao cumprimento de suas ideias políticas.

O céu não existe, foi uma criação do homem para amenizar o sofrimento e também para fazer os fiéis crerem em outro mundo espiritual e chegarem ao sacrifício político (homem-bomba); ou se digladiarem como fazem as facções criminosas das drogas para controlar o mercado ilícito, assim também fazem as religiões católicas e protestantes em alguns países querendo a hegemonia política-religiosa. Como a própria política almeja a universalização da ideologia, também as religiões querem a universalização de suas teologias, tudo em torno do poder e riqueza da autocracia, foi por isso que se uniram a política e a religião para chegarem sempre juntas ao mesmo objetivo. O céu é como uma promessa política.

O inferno também não existe, foi criação do homem quando criou as religiões para fazerem os fiéis temerem o inferno hipotético e fazerem o que as religiões mandarem. Se houve inferno foi na Idade Média quando os demônios dos sacerdotes que tinham o poder político levaram muitas almas para a fogueira e outras torturas medievais de pessoas inocentes em nome de Deus. A militar Joana D’arc também foi alvo desses sacerdotes torturadores da Inquisição que só se tornou santa depois que a Igreja viu a inocência dela. Foi assim na história religiosa em que, muitos santos e santas foram canonizados por arrependimento da Igreja em suas injustiças criminosas. Foi a maneira da Igreja resgatar a sua consciência pesada nesses crimes hediondos dos Séculos passados.

O homem criou também os milagres que não existem porque os milagres são o oposto das leis cósmicas que são imutáveis. Os milagres foi a maneira de arrebanhar a população para a religião.

O homem é tão estúpido que não vêm que o Inferno e o Céu estão dentro de cada um de nós e através de suas ações é que se transfere o Céu e o Inferno para o mundo exterior. O homem tem dentro de si a autodestruição e a construção, a morte e a vida. O céu e o inferno no ser humano é uma lei Cósmica de Causa e Efeito é a maneira justa do universo.

O homem tem o poder do verdadeiro milagre das leis cósmicas que é a vida e também o milagre dado pelo cósmico de operar os milagres: científicos, tecnológicos, etc. 

Como o homem tem o poder da vida e da morte dentro de si, ele pode operar o outro milagre da destruição e transformar o mundo e a si mesmo num inferno. O homem tem que escolher se quer o Céu que tanto almeja, ou o Inferno que diz repudiar e temer. O céu e o inferno estão aqui dentro de cada ser humano e na própria Terra.





Por: Ernani Serra 
Pensamento: O paraíso e o inferno estão nas mãos do homem e dependem de suas ações e realizações.
Ernani Serra