Leitores Online

15 de ago de 2017

Religiões Mundiais e Políticas


O homem primitivo não tinha religião, vivia uma vida conectada com a natureza e tinha medo da fúria da natureza, foi daí que veio o desejo de interligação entre o homem e a natureza, o homem começou a idolatrar tudo que era superior e enigmático para sua compreensão medíocre e primitiva e começou a adorar o sol, a lua, as águas, a floresta, etc.

Essa adoração era passada para pais e filhos e a comunidade tribal conseguia com que todos tivessem um só ídolo ou vários ídolos e achavam que se comunicavam com os espíritos dos mortos através de um feiticeiro ou médium. 

Com o passar dos séculos o homem começou a se libertar de sua comunidade e ficar cada vez mais só e a construir uma nova sociedade egoísta e egocêntrica. 

Então, vieram as religiões em toda parte do mundo com o objetivo material de explorar as mazelas da sociedade em decadência e infiltrar na mente humana um paraíso celeste com anjos, santos, santas, deuses mitológicos, e uma infinidade de símbolos para fazer com que as pessoas passassem pelas provações com resignações e também para manipular as massas para contribuir financeiramente com as religiões em troca de salvação. 

Duas coisas que a política adora em uma nação: A ignorância e a miséria; ambas são as causas de uma situação perfeita para a corrupção política e o estrangulamento de uma nação sem futuro e sem meios de se salvarem dos tentáculos dos seus algozes políticos.

As religiões ao passar do tempo se tornaram marionetes nas mãos dos políticos que levaram as nações as guerras santas, genocídios religiosos e políticos. O homem é como uma máquina robotizada que com o tempo se torna programada para a vida social e religiosa.

A humanidade começou a acreditar em imagens milagrosas de todas as religiões que na verdade quem faz os milagres não são as imagens e sim um Deus Supremo e Invisível que está em tudo e em todos, mas o homem está hipnotizado com as lavagens cerebrais que receberam desde criança através dos pais, da sociedade, dos professores, e das religiões de cada país que cristalizaram nas mentes e enfeitiçaram as massas.

Toda religião é um mero comércio onde quem se beneficia são aqueles que as criam e ficam ricos da noite para o dia empregando a lavagem cerebral em seus fiéis e a mídia ajudando.

Lembrem-se não existem nem céu nem inferno pós-morte, a morte é a desintegração da matéria e do espírito energético. Se querem realmente criar um céu (paraíso) que o faça aqui na Terra, como também é possível criar um inferno aqui na Terra.

O homem começou a sentir os efeitos daquela sociedade individual e a ver que seu povo estava cada dia mais pobre apesar do “progresso industrial” que na mente de alguns a revolução industrial era a solução para alimentar a todos, puro engano, o homem apesar de viver em sociedade continuava isolado com poucas perspectivas para conseguir uma vida melhor. O homem criou artifícios burocráticos, econômicos e financeiros que impem uma distribuição de renda quantitativa e qualitativa para todos, é assim que os governantes manipulam as massas como marionetes ao seu bel prazer.

O homem se torna o que foi dito repetidamente (lavagem cerebral) através dos tempos. As religiões é uma Torre de Babel onde ninguém se entende e todos querem estar com a razão e serem os donos da verdade onde não existem verdades. As religiões foram criadas para dar um estado de espírito confortável aos seres humanos, um freio nos seus instintos mórbidos, desde que foram descobertos que o homem é um animal perigoso, astuto, cruel, um verdadeiro demônio, etc. As religiões tentam transformar esse homem demoníaco num santo ou semideus. Os homens astutos descobriram que o ser humano tem um desejo profundo de chegar a um paraíso espiritual e então, os mafiosos encontraram um meio de exterminar o homem e enriquecer rapidamente através da ilusão dos narcóticos hipnóticos e autossugestões.

Entre as massas humanas existem sempre uma mente maquiavélica para dirigir o povo a um determinado caminho político em benefício próprio, ou seja, daquele político que está levando o povo como cordeiro para atingir as suas finalidades, ilegais, egoísticas e egocêntricas.







Por: Ernani Serra 
Pensamento: A ignorância e a pobreza do povo levam ao enriquecimento e a astúcia dos maliciosos políticos.
Ernani Serra